WEBMAIL

Bispos e Provinciais das Congregações Religiosas realizam encontro no CECREI, em São Leopoldo

O CECREI, em São Leopoldo, foi casa da fraternidade e da comunhão nesta quarta-feira, 31 de maio. Os arce/bispos de todo o Estado acolheram os/as Provinciais das Congregações Religiosas presentes no Regional Sul 3 para o tradicional encontro anual do grupo. Cerca de 70 pessoas participaram da reunião, que teve como tema A relação da vida consagrada com a Igreja Local no Rio Grande do Sul.

O encontro iniciou com uma saudação da nova presidência do Regional Sul 3, por dom Leomar Brustolin. Também falou aos religiosos e religiosas o Arcebispo de Porto Alegre e Presidente da CNBB e do CELAM, dom Jaime Spengler.

“É um momento de graça e de bênção partilhar os carismas e as espiritualidades inseridos nesta mesma Igreja que nós somos”. A visão é de dom Cleonir Dalbosco, vice-presidente do Regional Sul 3, que vê o encontro como um momento fundamental para a troca de experiências e a entreajuda da vida religiosa consagrada e com os bispos do Regional.

Durante o encontro, os participantes foram convidados a contribuírem com as novas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil, refletindo e apresentando os elementos fundamentais que precisam ser considerados na elaboração das próximas DGAE. As sugestões serão encaminhadas diretamente à Comissão do Tema Central.

A Ir. Silvania Golfetto, Provincial das Irmãs Ursulinas Filhas de Maria Imaculada, de Passo Fundo, acredita que a reflexão e o diálogo são fundamentais para este processo de construção das novas diretrizes: “A vida religiosa atinge vários ambientes e espaços da sociedade e da Igreja e por isso tem muito a contribuir. O desafio é somarmos com os bispos em ações concretas na caminhada da Igreja”, aponta Ir. Silvania.

Da mesma visão partilha a Ir. Maria de Lourdes Urban, Presidente da Conferência dos Religiosos no Regional Sul 3. Ela agradece o espaço e o momento de partilha e destaca a importância de haver momentos assim de partilha. “Sentar-se junto, conversar sobre como ser Igreja hoje e como ser vida religiosa consagrada inserida é um desafio de toda a extensão da Igreja. Ouvir as pessoas, as realidades e as experiências que já existem é um enriquecimento para todos nós e, sobretudo, um encorajamento para que possamos continuar a seguir Jesus Cristo com entusiasmo e fé”, comenta Ir. Maria.

O encontro também provocou os participantes ao fortalecimento da relação entre a vida consagrada e a Igreja Diocesana e proporcionou uma discussão sobre a própria metodologia dos encontros, como periodicidade, participação, conteúdo e método.

Confira a seguir a matéria completa com as entrevistas:

CNBB Sul 3