WEBMAIL

Dia do Trabalho

Prezados irmãos e irmãs que acompanham Voz da Diocese, nossa saudação de paz e alegria, no espírito do Cristo Ressuscitado. Também saudamos todos os trabalhadores (as) suplicando copiosas bênçãos do céu, pela intercessão de São José Operário.

O Papa Pio XII, no ano de 1955, instituiu para toda a Igreja, a Festa de São José Operário neste dia 1º de maio em que recordamos a “Festa do Trabalho”. São José é o modelo de operário. Ele, o humilde carpinteiro de Nazaré que realizou seu trabalho como expressão de seu amor e para o sustento da Família de Nazaré, que dentre seus membros estava Jesus.

Unido a São José, Jesus também aprendeu esta profissão durante os anos que esteve junto à família em Nazaré, desde o episódio do Templo aos doze anos até o início de sua vida pública, período este que nada nos é relatado no Evangelho.

“O trabalho dignifica o homem”. O trabalho é um direito de todos para o sustento de si e dos que estão sob os seus cuidados. Assim, queremos expressar neste Dia do Trabalho, nossa gratidão a todos os trabalhadores (as), operária (as) na construção de um mundo melhor e uma vida sustentada com dignidade. Também nos solidarizamos com os sofrimentos de todos (as) os desempregados (as), privados de seu sustento básico e de muitas famílias nas quais falta o mínimo necessário para uma vida com dignidade.

Caríssimos irmãos e irmãs. Neste tempo pascal lembramos que a liturgia nos convida a renovar a esperança no Cristo Ressuscitado e a construir uma comunidade capaz de dar testemunho da missão realizada por Ele. Na primeira leitura, os apóstolos dão testemunho do Ressuscitado, expresso na pregação de Pedro e dos outros apóstolos: “É preciso obedecer a Deus antes que aos homens” (At. 5,29b). Mesmo estando proibidos pelo Sumo Sacerdote, não se deixaram vencer e ficaram felizes por sofrerem perseguições e açoites, e “por terem sido considerados dignos de injúrias por causa do nome de Jesus” (At. 5, 41).

O texto do Evangelho deste 3º Domingo da Páscoa mostra a terceira aparição de Jesus aos apóstolos quando estes estavam no ordinário de seus trabalhos, ou seja, na pesca, pois eram pescadores. Sem reconhecer Jesus, escutam sua palavra e são obedientes, fazendo uma grande pesca. Jesus os convida em seguida a comer com ele do fruto de seus trabalhos: “Jesus aproximou-se, tomou o pão e distribuiu-o por eles. E fez a mesma coisa com o peixe” (Jo 21,13). Em seguida, o Evangelho apresenta um diálogo entre Jesus e Pedro. Confirmando, por três vezes, seu amor a Jesus, Pedro se torna o responsável pelos demais e pela Igreja nascente: “Apascenta as minhas ovelhas” (Jo 21, 17). Desta forma, a missão de Jesus ganha sua continuidade pela vida e pregação dos Apóstolos e por toda a Igreja que, fundada sob o alicerce dos mesmos, vive sua missão no mundo como expressão do amor a Cristo e da fé daqueles que “estiveram e comeram com Ele depois de sua ressurreição”.

Caríssimos. Renovemos nossa fé como discípulos missionários de Jesus Cristo, trabalhando na promoção da vida e da paz e comprometidos com a construção de uma sociedade justa e solidária, especialmente com nossos irmãos e irmãs trabalhadores (as).

Pela intercessão de São José Operário, invocamos copiosas bênçãos de Deus sobre todos (as) e desejemos um bom domingo.

São José Operário, rogai por nós! Amém.

Dom Adimir Antonio Mazali – Bispo Diocesano de Erexim