WEBMAIL

Em caminho sinodal, Assembleia Regional dialoga a construção das próximas Diretrizes Gerais

A quinta-feira, primeiro dia da Assembleia Regional da Ação Evangelizadora, foi marcada por diversos momentos de escuta, diálogo e partilha.

Ainda no período da manhã, a Assembleia contou com a assessoria do Prof. Dr. Pe. Tiago de Fraga Gomes, da Diocese de Osório, que apresentou a importância e o objetivo das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE) e trouxe memórias do que foi construído no período 2019-2023 pela CNBB.

Baseado nos documentos da Igreja, Pe. Tiago pontuou sobre como as próximas diretrizes devem ser pensadas de forma sinodal, com um propósito de continuidade mas também de renovação, tendo em vista a necessidade de que se busquem novos caminhos.

Ainda neste momento, apresentou a conversão pastoral como grande desafio e pontuou que é necessário “Ir ao essencial, se ocupar menos com questões secundárias que pouco servem para formar discípulos de Jesus em nossas comunidades.”

Por fim, o assessor destacou a importância do laicato dentro das comunidades e seu papel fundamental para a edificação da comunidade eclesial na comunhão, na participação e na missão, envolvendo todos os cristãos como protagonistas da Ação Evangelizadora da Igreja, em perspectiva colegial e sinodal.

Em seguida, os participantes da Assembleia foram divididos em grupos onde dialogaram a respeito das seguintes questões:

Que outros elementos precisam ser considerados nas próximas Diretrizes?

O esquema metodológico das DGAE 2019-2023 corresponde ao que precisamos no atual contexto?

Após este momento de partilha, cada grupo comentou a respeito dos frutos deste diálogo e pontuou algumas questões que foram apresentadas à plenária: diálogo intergeracional, linguagem e comunicação nas redes sociais, ação pastoral ordinária, sentimento de pertença nas comunidades, importância dos ministérios leigos na superação do clericalismo, vocação e missão, realidade urbana, dimensão litúrgica e mistagógica, família e escuta às juventudes.

Pe. Tiago, durante a apreciação das questões destacadas em cada grupo pontuou: “No fundo, as novas diretrizes precisam contemplar esse novo contexto e essas novas questões que precisam ser abordadas.”

Em relação a linguagem e comunicação nas redes sociais, comentou:

“A questão da linguagem é um desafio constante de traduzir aos nossos interlocutores o que cremos. Este é um desafio muito bonito que não deve nos inquietar, mas sim abrir nossos horizontes. Precisamos nos comunicar melhor e ajudar as pessoas a comunicar o evangelho.”

O que são as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil?

As Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora são o resultado da preocupação da Igreja em traçar um plano e propósitos que possam direcionar os trabalhos das dioceses e movimentos eclesiais em todo o Brasil.

As DGAE expressam a comunhão orgânica da Igreja que planeja suas atividades pastorais em espírito de colegialidade e sinodalidade, como Igreja em saída, atenta aos sinais dos tempos, em contínua renovação e conversão pastoral, para ser fiel à sua missão.

Saiba mais na reportagem:

Colaboração: Marceli de Sá Rossi