WEBMAIL

Em plenária, Assembleia discute passos para Ação Evangelizadora no RS

Dioceses do RS debateram propostas para serem aplicadas na evangelização no Regional Sul 3

A Assembleia Regional da Ação Evangelizadora seguiu na tarde desta quinta-feira (01), iniciando com o apoio do Pe. Jonison Mallmann, coordenador de pastoral da diocese de Uruguaiana. Pe. Jonison relembrou os desafios e sugestões que ficaram registrados na Assembleia Regional de Ação Evangelizadora de 2021, que aconteceu na modalidade online: novas exigências da caridade; aprimorar a pastoral da comunicação; Igreja nas casas; caridade e o cuidado com os cuidadores; protagonismo de leigos e leigas; fadiga pandêmica; recuperar a eclesiologia do Concilio Vaticano II; crescer na conexão e comunhão das pastorais e serviços e ser criativos e ousados para reinventar as diversas pastorais e serviços.

Para dar sequência aos trabalhos e buscar pistas de ação, os participantes, divididos em Províncias Eclesiásticas, foram incentivados para, em grupos, aprofundarem a reflexão e responderem a três questões:

1) Que processos/ações somos desafiados a caminhar em vista de uma Igreja Sinodal?

2) Num contexto plural, individualista e urbano, pistas em vista da organização e/ou fortalecimento das comunidades eclesiais missionárias.

3) Apontar indicativos em vista da construção de um humanismo integral e solidário.

Durante a partilha dos grupos, foram enfatizados especialmente alguns tópicos, entre eles: incentivar e aperfeiçoar processos de escuta e hospitalidade, redescobrir a riqueza da eclesiologia do Concílio Vaticano II, valorizar conselhos pastorais como espaço de diálogo, incentivar e promover a participação efetiva das pastorais, ampliar a participação para que todos tenham voz, formação para a escuta foram elencados. Sobre a segunda pergunta foram abordados aspectos referentes a como resolver a questão entre pluralismo e individualismo, a proximidade e vinculação dos sacerdotes com as comunidades, as Casas de Francisco e Clara como local de acolhida e o querigma como anúncio e reconhecer Cristo na outra pessoa. Para a terceira questão proposta, itens como investir no processo de formação constante, necessidade de conversão pessoal, evidenciar a pessoa no centro, assumir o Pacto Educativo Global, intensificar ações de sustentabilidade e acessibilidade na Igreja foram expostos.

Na avaliação do assessor o trabalho de grupos mostrou que as dioceses e pastorais estão atentas à proposta do Papa Francisco de retomar os aspectos principais da sinodalidade.

“Contribuições muito valiosas surgiram e vão nos ajudar a pensar e oferecer elementos para uma Igreja sinodal, com mais comunhão, mais participação. Também sobre comunidades missionárias, que é o eixo das Diretrizes, as questões respondidas nos trouxeram elementos muito ricos, pistas para organização destas comunidades e a questão sobre o humanismo integral e solidário, a partir do Pacto Global do Papa, que também tem a necessidade de um pensar mais amplo – o humano em relação com a ecologia, o humano nesta casa comum. Então tem elementos diversos que agora nos ofereceram luzes e propostas para uma boa síntese”, afirmou Pe. Jonison Mallmann.

Para seguir a construção das propostas da assembleia, a equipe de coordenação da assembleia se reunirá para elaborar uma síntese geral das apresentações. As atividades do dia encerarram com a celebração da Missa presidida pelo arcebispo de Passo Fundo, Dom Rodolfo Weber.

A programação de amanhã englobará orações, celebração eucarística, apresentação da síntese de trabalhos, apresentação de comissões, datas das próximas atividades e outros temas.

CNBB Sul 3
Colaboração: Luciana Falcão