WEBMAIL

Episcopado Gaúcho avalia participação na 59ª Assembleia Geral da CNBB

Foram 5 dias, 9 sessões e mais de 40 temas debatidos na primeira etapa da 59ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, de 25 a 29 de abril. Do Rio Grande do Sul, participaram os arce/bispos das 18 arqui/dioceses do Estado, junto com o Pe. Silvio Jorge Mazzarolo, administrador diocesano de Cruz Alta.

Com o tema “Igreja Sinodal – Comunhão, Participação e Missão”, esta primeira etapa foi realizada em modalidade virtual e reuniu aproximadamente 400 participantes. O presidente do Regional Sul 3 da CNBB, dom José Gislon, relata: “Nos debruçamos e refletimos sobre os vários aspectos da caminhada da vida da Igreja: a dimensão da vida presbiteral, da formação das lideranças das nossas comunidades, a realidade da juventude e da iniciação à vida cristã, o cuidado com os sacerdotes e o desafio de ir ao encontro do povo de Deus depois deste isolamento social”.

Para dom José, a assembleia foi um tempo de oração e reflexão. “Foi um momento de nos colocarmos na escuta uns dos outros, para percorrer um caminhão de comunhão, fortalecidos pela Palavra de Deus, mas também pelas palavras do nosso Papa Francisco, que nos motiva a sermos uma Igreja em saída, em comunhão e missionária”, aponta o presidente da CNBB Sul 3.

O arcebispo de Pelotas, dom Jacinto Bergmann, também avaliou esta 59ª Assembleia Geral de forma bastante positiva, especialmente considerando o contexto de pós-pandemia:

Foi muito significativo este momento de assembleia, em que estamos saindo de uma pandemia, com novos aprendizados e perspectivas também na ação evangelizadora. O espírito sinodal esteve entranhamente presente. Os bispos souberam ouvir uns aos outros e as próprias grandes questões que precisam ser iluminadas e enfrentadas pela boa-nova do Evangelho. Enfim, a comunhão do episcopado vivida na Assembleia, mais uma vez foi um testemunho visível do próprio Deus-comunhão, comentou dom Jacinto.

A comunhão e a fraternidade episcopal durante a assembleia também chamaram atenção de dom Ricardo Hoepers, bispo diocesano do Rio Grande. Segundo ele “alegria, disposição, espiritualidade, diálogo, fraternidade, espírito de comunhão e a coragem de enfrentar temas de grande importância para a Igreja e a sociedade”, marcaram estes dias. O bispo, já bastante familiarizado com as plataformas digitais, também ressalta o sucesso da assembleia nesta modalidade: “Foi muito positivo ver que todos os bispos já estão inteirados com as plataformas de reunião remota. É um grande avanço. Só temos que agradecer”.

A modalidade virtual também é destaque na avaliação de dom Aparecido Donizeti de Souza, bispo auxiliar de Porto Alegre:

“Embora no formato online, o que não seria o ideal, foram dias de grande partilha e enriquecimento para todos. Digo de uma verdadeira experiência de sinodalidade. Além de aprofundar vários temas de grande importância pastoral para a Igreja no Brasil a partir das diversas comissões, tivemos também momentos fortes de oração e leitura orante da Palavra que, sem dúvida, nos fortaleceu muito. O espírito de comunhão e participação em vista da missão que Cristo nos confia predominou certamente nesta primeira etapa da assembleia”, concluiu dom Aparecido.

A segunda etapa desta 59ª Assembleia Geral está marcada para os dias 29 de agosto a 02 de setembro, em Aparecida – SP.

CNBB Sul 3