WEBMAIL

Família: fonte de novas vocações

Minha saudação a todos os irmãos e irmãs que acompanham a Voz da Diocese. Com carinho, gostaria de saudar os pais pela passagem de seu dia. Manifesto, igualmente, meu apreço a todas as famílias, convidando-as a rezarem, nesta Semana Nacional da Família, cujo tema recorda a família como fonte de novas vocações, a saber: “Família: fonte de vocações”, sendo o lema: “Corações ardentes, pés a caminho” (cf. Lc 24,32-33), replicando o 3º Ano Vocacional do Brasil.

Caríssimos irmãos e irmãs. A Semana Nacional da Família acontece de 13 a 19 de agosto, e tem como objetivo: aprofundar a reflexão, intensificar a oração e promover o despertar de novas vocações à vida matrimonial, sacerdotal e religiosa. Tal tarefa diz repeito a todos nós.

Pe. Crispim Guimarães dos Santos, na época, Assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB e Secretário Executivo Nacional da Pastoral Familiar, fez a seguinte alusão: “O ano de 2023 foi escolhido para lembrar, celebrar e proporcionar a (re-) descoberta do Dom que cada pessoa recebeu como presente de Deus: a vocação. E se existe um lugar privilegiado de valorização e descoberta da vocação, ele se chama família. Por isso, ‘Família, fonte de vocações’; é nela que as vocações precisam ser trabalhadas, isto é, cada família deve proporcionar para que seus membros descubram aquele chamado que Deus, no seu infinito amor, colocou no íntimo de cada coração e que é a única possibilidade de vida feliz. Quem não descobre sua vocação não terá um coração alegre e realizado”.

A Semana Nacional da Família é uma oportunidade de olhar para o Sacramento do Matrimônio como um caminho de santificação dos esposos, compreendendo o verdadeiro sentido do amor na família, que se fundamenta no amor de Deus. Tal Semana evoca as famílias a intensificar suas orações em comum, a fim de fortalecer a unidade familiar e o espírito de oração. Assim, os pais podem ajudar os filhos no discernimento vocacional, dando-lhes condições de responderem ao chamado de Deus, com alegria e disponibilidade.

Vamos então, prezados irmãos e irmãs, rezar juntos, nesta Semana da Família, com espírito eclesial, seja em casa ou nas comunidades, para que as famílias sejam fortalecidas no amor e na unidade, superando as diferenças e dificuldades, na intenção de que das famílias brotem abundantes vocações para o Matrimônio cristão, à Vida Consagrada e Sacerdotal ao serviço da Igreja e do mundo, sempre com “corações ardentes e pés a caminho” (cf. Lc 24,32-33).

Estimados irmãos e irmãs. Reflitamos, ainda, sobre a liturgia da Palavra deste Domingo. Deus toma a iniciativa e vem ao encontro das pessoas, especialmente nos momentos de grandes necessidades. O Deus dos profetas que, em Jesus se fez humano e está no meio de nós, diante das dificuldades do povo, toma a iniciativa de se colocar na defesa dos pobres e necessitados.

O Evangelho deste Domingo (Mt 14,22-33), descreve a travessia do mar da Galiléia. Depois que a multidão havia se saciado, por causa da partilha do pão, Jesus solicitou aos discípulos entrarem na barca e seguir à sua frente.

Em Mateus, Jesus é o Deus conosco, Emanuel, que se coloca junto à nossa “travessia”. Porém, há sempre o perigo de muitos não O perceberem presente, considerando-o um “fantasma”, como ocorreu com os discípulos naquele episódio. Jesus se dá a conhecer como Deus presente, que liberta das dificuldades, afirmando: “Coragem, sou eu, não tenhais medo”(Mt 14,27). A acolhida de sua Palavra dá coragem e afasta o temor. Pedro, então, desejou ir ao encontro de Jesus, o qual lhe diz: “Vem!”(Mt 14,29). Porém, Pedro teve medo e começou a afundar. Significa que para participar do Projeto de Jesus, faz-se necessário deixar o medo de lado e lançar-se, corajosamente, à missão. O grande milagre é o de caminhar em meio aos desafios, as oposições e perseguições da sociedade, que rejeita o projeto do Reino de Deus.

“Homem fraco na fé, por que você duvidou?” (Mt 14,31) Esta repreensão de Jesus, a Pedro, vale também para nós. Quando Jesus subiu à barca, o vento cessou. Isso demonstra que a memória da presença de Jesus Cristo, em nossa vida, é determinante para nos fortalecer na travessia, em qualquer tempestade. Tal experiência de fé levou aqueles, que estavam no barco, a prostrarem-se diante de Jesus, afirmando, com convicção: “Verdadeiramente, tu és o Filho de Deus!”(Mt 14,33).

Caríssimos irmãos e irmãs. Inspirados pela Palavra de Deus, cada família, em nossas comunidades eclesiais, seja luz na construção de uma nova sociedade. E todos nós possamos reafirmar, com alegria: “Eu e minha casa serviremos o Senhor” (Js 24,15). E, ainda: “Jesus, Maria e José, nossa família vossa é!”.

Deus abençoe a todos e um bom domingo.

Dom Adimir Antonio Mazali – Bispo Diocesano de Erexim