WEBMAIL

Leigos e Leigas, servidores da Igreja!

Minha saudação a todos e todas que acompanham a Voz da Diocese. Neste último domingo de agosto, gostaria de saudar, com espírito de gratidão, a todos os leigos e leigas comprometidos com a missão evangelizadora em nossa Diocese, asumindo seu compromisso evangelizador, como discípulos-missionários de Jesus Cristo, junto às pastorais e movimentos eclesiais, em nível paroquial e ou diocesano. Os cristãos leigos são vocacionados a serem na Igreja e na sociedade, “sal da terra e luz do mundo” (Cf. Mt 5, 13.14), semeadores das sementes do Reino para a construção da “civilização do amor”.

Celebramos, ainda, neste final de semana, a vocação, o ser e o agir de todos os que se dedicam ao serviço da Catequese. Nossos catequistas, leigos e leigas, exercem a missão da transmissão da fé e na condução do ensino da doutrina cristã, que leva ao Conhecimento e Seguimento de Jesus Cristo. Minha gratidão ao trabalho evangelizador, abnegado e gratuito, a centenas de Catequistas, que em nossas Comunidades Eclesiais, dedicam-se no exercício do ministério catequético, fundamental ponto de partida à realização da missão evangelizadora de toda a Igreja.

Prezados irmãos e irmãs, a vida cristã, em comunidade, não permite improvisos. É por isso, que conclamos a todos os catequistas, em todas as Paróquias de nossa Igreja Diocesana, a abraçarem, cada vez mais a sério, o compromisso da Catquese de Iniciação à Vida Cristã, IVC, em suas diversas etapas. É preciso que a vivência da fé cristã, desde o início, a partir do batismo, passando pelas demais fases e etapas da vida cristã, seja contemplada por uma sólida formação catequética. Não se olvida, portanto, a formação catequética permanete, pela qual todos somos destinatários, mas também agentes comprometidos na educação da fé dos demais nossos irmãos e irmãs, a começar pelo contexto familiar e comunitário, nos quais pertencemos. Assim sendo, a Catequese é um processo que dura a vida inteira, não estando restringida somente às crianças, aos adolescentes e aos jovens. Todos os membros de nossas famílias e as Comunidades Eclesiais, são chamados a estarem em permanente processo de formação, por intermédio das celebrações, missas, encontros formativos ou cursos, grupos de pastorais ou movimentos eclesiais, e outras formas oferecidas pela Igreja.

Portanto, caros leigos e leigas evangelizadores e prezados catequistas, juntamente com os sacerdotes, religiosos e religiosas, todos somos chamados e enviados a anunciar o Evangelho do Reino de Deus, cumprindo nossa missão batismal. Inseridos na realidade do mundo, devemos fazer resplandecer o Rosto de Cristo em todas as dimensões da realidade humana e social, a partir dos gestos e ações de amor e solidariedade.

O Documento da Conferência de Aparecida nos recorda que o Anúncio do Evangelho da Vida, que é missão de todos os cristãos leigos, deve ser realizado de forma eficiente e eficaz, na Igreja e no mundo. Assim, refere-se Aparecida, no parágrafo 145: “Quando cresce no cristão a consciência de pertencer a Cristo, em razão da gratuidade e alegria que produz, cresce também o ímpeto de comunicar a todos o dom desse encontro. A missão não se limita a um programa ou projeto, mas é compartilhar a experiência do acontecimento do encontro com Cristo, testemunhá-lo e anunciá-lo de pessoa a pessoa, de comunidade a comunidade e da Igreja a todos os confins do mundo (Cf. At 1,8)”.

Estimados irmãos e irmãs, nessa dimensão missionária da Igreja, o papel dos leigos, é ser presença e sinal do amor de Deus em todos os tempos e lugares. Na Igreja e no mundo, os leigos são chamados a viver a fé, a esperança e a caridade evangélica, com fidelidade, reafirmando sua própria identidade e contribuindo para a construção de uma nova sociedade, alicerçada nos valores do Reino de Deus. Forma-se, assim, a compreensão lúcida de que o Encontro com a Pessoa de Jesus Cristo transforma a existência humana, levando-a a sua realização plena.

Deste modo, que em todas as Celebrações litúrgicas, deste Domingo, o último do mês vocacional, recorde-se a vocação e missão dos leigos, inseridos na ação evangelizadora da Igreja, especialmente em nossa Diocese de Erexim. Lembremos dos ministérios leigos, não ordenados, e de seus serviços eclesiais, entre os quais, o ministério da Catequese.

E, animados pela profissão e vivência da fé cristã, todos os leigos e leigas, caminhem juntos na edificação da Igreja, para que cresça, em nossos contextos eclesiais e sociais, o conhecimento e a adesão a Jesus Cristo e Sua Proposta. Em nossos dias, “precisamos de homens e mulheres do mundo no coração da Igreja e homens e mulheres da Igreja no coração do mundo”, conforme nos alerta o Documento de Puebla, em seu nº 786.

Deus abençoe a todos e um bom domingo!

Dom Adimir Antonio Mazali – Bispo Diocesano de Erexim