WEBMAIL

“Maria levantou-se e partiu apressadamente” (Lc 1, 39)

Iniciamos mais um Mês Vocacional e, nesta ocasião, dentro do 3º Ano Vocaciona Nacional. No Brasil celebramos 40 anos do primeiro Ano Vocacional, que aconteceu em 1983, cujo lema foi “Vem e segue-me”. O segundo em 2003, com o tema “Batismo, fonte de todas as vocações” e o lema “Avancem para águas mais profundas”. Neste ano de 2023, o Ano Vocacional traz como tema “Vocação: graça e missão” e o lema “Corações ardentes, pés a caminho”, inspirado no encontro de Jesus com os discípulos de Emaús.

O tema “Vocação: Graça e Missão” se fundamenta na afirmação de que a vocação aparece realmente como graça de Deus e sempre está em vista de uma missão. Toda a vocação e missão tem origem e centro na pessoa de Jesus, que “chamou e enviou os que ele mesmo quis” (cf. Mc 3, 13-19).

O lema “Corações ardentes, pés a caminho” (cf. Lc 24, 32-33) fala do coração e dos pés. Recorda os discípulos de Emaús. O coração que arde ao escutar a Palavra do Ressuscitado e os pés que se colocam a caminho para anunciar o encontro com o Cristo.

Queremos que este Ano Vocacional trate da vocação no seu sentido mais amplo e profundo no âmbito pessoal e comunitário. As atividades previstas para este Ano devem promover todas as vocações de que as comunidades precisam para terem autonomia nos serviços. Há um firme propósito de superar tanto uma visão reducionista que considera vocacionados somente os sacerdotes e religiosos. Mas não podemos cair em uma generalização que não identifica e nem respeita a inclinação natural de cada pessoa. Toda Vocação é pessoal e está em vista de uma missão e de uma comunidade.

Outro assunto importante é a JMJ (Jornada Mundial da Juventude), que acontece neste 1º a 6 de agosto, em Lisboa, Portugal.  O tema é “Maria levantou-se e partiu apressadamente” (Lc 1,39). Maria, representa a Igreja em saída, não se volta para dentro, sai para encontrar a sua prima Isabel, seguindo o projeto de Deus para a sua vida.

Há uma agradável surpresa quanto ao número recorde de participantes. São cerca de 354.000 peregrinos que se registraram, organizadores calculam mais de 1 milhão na missa de encerramento no domingo. Participam 688 bispos, incluindo 30 cardeais. 1.750 peregrinos com deficiências. 25.000 pessoas se inscreveram para servir como voluntários. Na região de Lisboa foram disponibilizados 1.626 espaços públicos para acolher 294.151 peregrinos. Os participantes também contam com o apoio de 8.831 famílias de acolhimento, que estão hospedando 28.618 peregrinos. A JMJ Lisboa contabiliza 5.000 profissionais da comunicação credenciados para a cobertura do evento.

No espírito da encíclica Laudato Si’, do Papa Francisco, a JMJ de Lisboa implementou também a iniciativa de plantar cerca de 17.980 árvores.

Desejamos que o Ano Vocacional e a JMJ ajudem cada pessoa a acolher como graça o chamado de Jesus e seja uma oportunidade para que mais e mais corações ardam e que os pés se ponham a caminho, em saída missionária.

Dom José Mário Scalon Angonese – Bispo Diocesano de Uruguaiana