WEBMAIL

Mulher-Mãe: Celebrar a Maternidade!

Celebrar o Dia das Mães é expressão de afeto e carinho. A data serve para celebrar e agradecer a todas as mães pela dedicação que dão aos seus filhos diariamente.

No Brasil, o Dia das Mães foi comemorado pela primeira vez em 12 de maio de 1918, na Associação Cristã de Moços de Porto Alegre. Mas somente em 1932, que o Dia das Mães passou a ser celebrado todo segundo domingo do mês de maio.

Foi o presidente Getúlio Vargas quem institui a data, por meio do decreto de número 21.366, publicado em 05 de maio de 1932. Diz o decreto: “O segundo domingo de maio é consagrado às mães, em comemoração aos sentimentos e virtudes que o amor materno concorre para despertar e desenvolver o coração humano, contribuindo para seu aperfeiçoamento no sentida da bondade e da solidariedade humana”.

Mas se a data foi oficializa, no Brasil, apenas e 1932, há indicações históricas de que igrejas cristãs já realizavam homenagens às mães antes do citado decreto presidencial. Tal indicação tem como referência o mês de maio, tradicionalmente celebrado como mês de Maria, a mãe de Jesus.

Compreende-se a maternidade a partir da realidade estabelecida entre mulher e homem. Na visão da fé cristã, trata-se de uma realidade tão profunda e transcendente que envolve o próprio mistério de Deus. É uma realidade que envolve, sim, o aspecto terreno e ao modo peregrino e passageiro de existir. Mas, ao mesmo tempo a maternidade – como também a paternidade! – simboliza e realiza o amor que Deus tem para com todo ser humano, no ato mesmo do amor humano e da intimidade de mulher e homem, vivendo uma união estável.

A partir da fé não há nada de vazio, mas tudo é sinal (Cf. S. Irineu, Adv. Haer. 4,21). Todas as coisas profundamente humanas são cercadas de ritos e cerimônias, de reconhecimento e gratidão, revelando assim seu mistério e sua ligação com uma realidade mais profunda!

Celebrar, pois, o Dia da Mães implica erguer o olhar para sondar e buscar compreender sempre mais e melhor a dignidade, o significado e as implicâncias do exercício da maternidade: particular participação no mistério da vida!

Ser mãe é vocação! Ser mãe é graça! O Senhor abençoe a todas as mulheres-mães!

Dom Jaime Spengler – Arcebispo de Porto Alegre e Presidente da CNBB