WEBMAIL

O rancor e a raiva

Dado que estamos no mês da Bíblia, gostaríamos que Ela pudesse permanecer por mais tempo em nossas mãos, quem sabe uma leitura cotidiana mesmo que breve, em modo que a Palavra de Deus habite o nosso coração, ou seja, se torne vida de nossa vida. Deixemos Ela falar, abramos à Ela as portas do nosso coração, como filhos e filhas amados de Deus, sedentos de ouvir a sua voz.

Achei por bem, dar espaço nesta semana ao Livro do Eclesiástico, um livro sapiencial, que recolhe algo da sabedoria popular do seu tempo e que é sempre atual. Vejamos o texto 27,33 a 28,9: “O rancor e a raiva são coisas detestáveis; até o pecador procura dominá-las”. Podemos dizer que são dois sentimentos que não ajudam em nada, que só prejudicam seja a quem os alimenta, mas também aos irmãos do entorno porque criam um clima tenso e pesado, que não faz bem a ninguém.

E segue dizendo: “Quem se vingar encontrará a vingança do Senhor, que pedirá severas contas dos seus pecados”. Precisa ser bem compreendida essa ‘vingança do Senhor’. Não que Deus seja vingativo, mas é uma forma de dizer que isso desagrada ao Senhor.

Depois exorta: “Perdoa a injustiça cometida por teu próximo: assim quando orares, teus pecados serão perdoados. Se alguém guarda raiva contra o outro, como poderá pedir a Deus cura? Se não tem compaixão do seu semelhante, como poderá pedir perdão dos seus pecados?”. O perdoar e ter compaixão são disposições sábias e sensatas sinais de maturidade humana e espiritual. Sabemos quanto o mundo de hoje precisa assimilar esse jeito de pensar e agir.

E no final: “Lembra-te do teu fim e deixa de odiar… pensa nos mandamentos e não guardes rancor ao teu próximo. Pensa na aliança do Altíssimo e não leves em conta a falta alheia!”. Creio que podemos concluir que esses sentimentos de rancor, raiva e ódio não são convenientes para ninguém, muito menos para quem se diz cristão. Se queremos ser pessoas de bem e caminhar iluminados pela Palavra de Deus, não podemos deixar que eles habitem nossa mente e coração.

Dom Jaime Pedro Kohl – Bispo Diocesano de Osório