WEBMAIL

O Tempo do Advento vivido como espera e esperança

Estimados irmãos e irmãs em Cristo Jesus! Como cristãos e peregrinos neste mundo, iniciamos o Tempo do Advento. É um tempo de preparação espiritual “interior”, para a celebração das solenidades do Natal, em que se comemora o nascimento de Jesus, o Filho do Deus altíssimo, que veio habitar entre nós, assumindo a nossa realidade humana, no projeto de amor do Pai. Podemos dizer que é um tempo de espera, mas não esperamos sozinhos, porque o Santo Natal tem uma forte mensagem de vida, de paz e fraternidade, marcada pelo amor de Deus, que toca os corações das pessoas, fazendo irradiar no mundo uma corrente do bem, marcada pelo amor-solidariedade.

O Advento é o tempo do cristão que está a caminho, em direção à vida eterna, em direção ao céu. Esse é um tempo para deixarmos florescer a espiritualidade do amor-comunhão, em que a nossa preocupação em enfeitar os espaços exteriores para as celebrações do Natal de Jesus seja motivada espiritualmente, pela mensagem de amor-comunhão entre o céu e a terra, e da realidade divina com as nossas fragilidades humanas.

O Tempo do Advento é bonito e merece ser vivido com intensidade na vida espiritual de cada cristão, nas famílias e na Igreja, para testemunharmos com fé, amor, alegria e esperança, os valores do Evangelho, que o menino nascido em Belém nos ensinou.

Na Igreja, comunidade de fé, o Tempo do Advento tem símbolos próprios. Entre eles, a coroa do Advento com as quatro velas, que marcam as quatro semanas que antecedem a chegada do Santo Natal. Eles nos ajudam a percorrermos esse caminho de preparação interior, de espera e esperança. Nas nossas cidades, vemos as casas, as praças e as ruas enfeitadas e iluminadas, com milhares de lâmpadas, evocando que o Natal é a Festa da Luz.

Esse tempo tão especial não deveria passar despercebido, nem ser vivido na indiferença espiritual por aqueles e aquelas que professam a fé em Jesus Cristo. Em geral, no local onde vivemos procuramos fazer uma limpeza geral, colocar tudo em ordem, para receber com esmero as visitas que vão chegar para festejar. Seria muito bonito que essa preocupação estivesse presente também na preparação da nossa morada interior, para que o Senhor Jesus possa entrar, para iluminá-la com a graça e a luz da sua presença, e festejar conosco o seu Natal.

Estimados irmãos e irmãs, o Sacramento da Reconciliação tem esse poder de preparar a nossa morada interior, para receber Jesus e celebrar a Festa da sua vinda entre nós. Como cristãos, preparai-vos para celebrar dignamente o Santo Natal.

+ Dom José Gislon, OFMCap. – Bispo Diocesano de Caxias do Sul