Notícias › 11/04/2019

Paróquia da Diocese de Caxias do Sul envia carta aberta a deputados, vereadores, senadores governador e presidente para reiterar a necessidade das políticas públicas

Publicação é fruto das discussões dos quatro painéis realizados sobre a Campanha da Fraternidade 2019
A Paróquia Santa Catarina de Caxias do Sul, encaminhou, no final da manhã desta quarta-feira, 10 de abril, carta aberta aos vereadores, prefeito municipal, deputados estaduais e da bancada gaúcha no Congresso, senadores, governador e presidente da República na qual reitera a necessidade das políticas públicas para o desenvolvimento humano. O material é fruto das discussões dos quatro painéis realizados entre os dias 12 de março e 09 de abril, sobre a temática da Campanha da Fraternidade 2019.
No documento, a Igreja pede que os gestores e legisladores apresentem à população brasileira, gaúcha e caxiense propostas de políticas públicas para a superação da violência,  como o incentivo ao esporte e lazer, o acesso facilitado dos jovens aos cursos
profissionalizantes, bem como a construção de um projeto de Brasil, de Estado e de
cidade, que garanta o cumprimento do disposto na Constituição de 1988. “Pedimos que ao invés das armas, se invista na Justiça Restaurativa, que já tem mostrado seus resultados muito satisfatórios, dentre os quais, segundo estudos, apenas 5% dos indivíduos apresenta sinais de reincidência no mundo do crime”, completa solicitando à Prefeitura de Caxias do Sul que retome o projeto Caxias da Paz.
A carta foi encaminhada por e-mail e aborda outros temas como a saúde pública e a necessidade da conclusão da obra de ampliação do Hospital Geral, a valorização e o diálogo com os produtores culturais. O documento também recorda a importância e relevância da criação de políticas públicas de incentivo aos jovens no acesso ao ensino público dos níveis fundamental, médio e superior, bem como ao mercado de trabalho.
Realizada anualmente pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Campanha da Fraternidade 2019 reflete as políticas públicas. “Somos sinal profético do Reino de Deus, homens e mulheres que querem a construção de uma sociedade mais justa e que busque o bem comum”, finaliza o ofício enviado.