WEBMAIL

Pastoral Carcerária Estadual realiza 28º Encontro Estadual

As coordenações da Pastoral Carcerária das arqui/dioceses gaúchas estiveram reunidas em São Leopoldo, no CEPA (Centro de Espiritualidade Padre Arturo), entre os dias 23 e 25 de setembro. Inspirados pelos tema do mês da Bíblia, “O Senhor teu Deus estará contigo onde quer que tu vás!” Js 1,9, pessoas de 13 arqui/dioceses rezaram, estudaram, avaliaram e projetaram ações da Pastoral no Rio Grande do Sul, pensando sempre na assistência religiosa às pessoas privadas de liberdade e na atenção integral à pessoa presa e à sua família. O desafio é grande, pois são mais de 43 mil homens e mulheres atrás das grades por este Rio Grande afora.

O encontro contou com a presença do Bispo Referencial para a Pastoral Carcerária, Dom Liro Vendelino Meurer, que participou integralmente do encontro. Também esteve presente Rosilda Ribeiro, do Mato Grosso do Sul, que é a Coordenadora Nacional para a questão da Mulher Encarcerada. Antes da Assembleia, pe. Eduardo Haas, coordenador estadual, Iara Carvalho, coordenadora para a Mulher Encarcerada, e Rosilda, visitaram as unidades prisionais femininas de Torres e de Guaíba. É preocupante a situação de carência que se encontra na realidade prisional, marcada pelo abandono por parte das famílias, do Estado e pelo alto índice de presas provisórias, que ainda não foram julgadas, mas já estão condenadas.

O Encontro contou com a assessoria do pe. Luciano Motti, da Diocese de Osório, que trabalhou uma análise da realidade social e eclesial brasileira. Também Rosilda Ribeiro assessorou parte do encontro com a temática da Mulher privada de liberdade.

Os participantes partilharam as realidades de cada uma das arqui/dioceses presentes. Retomaram o planejamento pastoral da Pastoral Carcerária Estadual e traçaram metas para 2023, como o fortalecimento e ampliação da equipe de agentes.

No sábado de manhã, a Missa foi presidida por Dom João Francisco Salm, bispo de Novo Hamburgo, e no domingo, por Dom Liro Meurer, bispo de Santo Ângelo.

O encontro contou com uma celebração de partilha e memória da história da Pastoral Carcerária no Rio Grande do Sul, em sintonia com os 50 anos de organização da Pastoral no Brasil, celebrados no dia 28 de agosto em Aparecida.

A Pastoral Carcerária prossegue sua missão, atenta à Palavra de Jesus que diz: “Eu estive preso, e tu foste me visitar”, relatada no capítulo 25 de São Mateus. É possível procurar esta pastoral e conhecer mais para poder até integrá-la e acompanhar este trabalho de evangelização e promoção da dignidade humana.

O sonho de Deus é um mundo sem prisões, em que todos possam viver como irmãos e irmãs. E este sonho é compartilhado por todos os agentes da Pastoral Carcerária.