WEBMAIL

Semana Nacional da Família – 13 a 18 de agosto

É muito bom a cada ano, com o segundo domingo de agosto, Dia dos Pais, iniciar a Semana Nacional da Família. É na família, Igreja doméstica, com suas alegrias e tristezas, com seus dons e suas fragilidades, que Deus chama as diferentes vocações para servir a Igreja na missão.

Como estamos no Ano Vocacional e entendemos que a Família é a fonte de todas as vocações, queremos, “com os corações ardentes e os pés a caminho” (Lc 24,32-33), fortalecer em nossas famílias os vínculos de amor e da consciência vocacional. Quanto mais nossas famílias compreenderem a importância de cultivar dentro dos lares os valores cristãos, mais veremos surgir vocações para servir toda a Igreja.

O ambiente privilegiado para a descoberta e valorização da vocação é o familiar. Por isso, a Semana Nacional da Família tem como tema: “Família, fonte de vocações”. Nas famílias cristãs deve haver clima para que seus membros descubram qual é o chamado que Deus, no seu infinito amor, colocou no íntimo de cada coração. A pessoa estará plenamente integrada se realizar em sua vida o projeto de Deus. Quanto mais nossas famílias compreenderem a importância de cultivar dentro dos lares os valores cristãos, mais veremos surgir vocações para servir toda a Igreja.

O lema escolhido para a Semana da Família é o mesmo do Ano Vocacional, inspirado no Evangelho de São Lucas: “Corações ardentes, pés a caminho” (cf. Lc 24,32-33). Função importante têm as famílias no discernimento da vocação e na realização dos filhos. Também a comunidade de fé, que é a segunda família para o cristão, não se deve desmerecer sua missão. A comunidade, sobretudo através da catequese, deve favorecer para que a criança e o jovem façam experiência do encontro com Deus e sintam seu coração aquecer quando ouvem a Jesus.

É importante que as famílias e a comunidade de fé se preocupem com discernimento vocacional de seus membros. Devem proporcionar que, especialmente as crianças e os jovens, sintam o chamado de Deus, seja ao Matrimônio, ao Sacerdócio, à vida religiosa e também aos ministérios da comunidade de fé.

O serviço de Animação Vocacional da Diocese propôs várias atividades para trabalhar a dimensão vocacional. Destaco algumas: Intensificar a dezena vocacional antes das celebrações; Organizar nas comunidades, um espaço vocacional que permaneça durante o mês de agosto e que aos domingos, nas celebrações, sejam acrescidos nomes e simbologias próprias da vocação específica celebrada; na Semana Nacional da Família haja atividades integradas com a Pastoral Familiar paroquial; Promover encontro com as famílias da catequese para falar das vocações (painel vocacional – com testemunhos).

Todos devemos deixar nossos corações ardentes e colocar nossos pés a caminho para o encontro com Jesus Cristo através da vocação, do serviço aos irmãos a que Deus nos chama.

Dom José Mário Scalon Angonese – Bispo Diocesano de Uruguaiana