WEBMAIL

Seus olhos se abriram

Deixando que a mensagem do papa Francisco continue a nos provocar para a Missão, escutemos com carinho sua reflexão e deixemos que abra nossos olhos e possamos reconhecer Aquele que caminha conosco.

“Os corações ardentes pela Palavra de Deus impeliram os discípulos de Emaús a pedir ao misterioso Viandante que ficasse com eles ao cair da tarde. Encontrando-se à mesa, seus olhos abriram-se e reconheceram-No quando Ele partiu o pão.

O elemento decisivo que abre os olhos dos discípulos é a sequência de ações de Jesus: tomou o pão, pronunciou a bênção, partiu-o e deu-lhe. No momento em que reconheceram Jesus, desapareceu da sua presença. Este fato faz compreender uma realidade essencial da nossa fé: o Cristo que parte o pão, torna-Se agora o Pão partido, partilhado com os discípulos e depois consumido por eles. Tornou-Se invisível, porque agora entrou dentro do coração dos discípulos para fazê-los arder ainda mais, impelindo-os a retomar sem demora o seu caminho para comunicar a todos a experiência única do encontro com o Ressuscitado!

Se o simples repartir o pão material com os famintos em nome de Cristo já é um ato cristão missionário, quanto mais o será repartir o Pão eucarístico, que é o próprio Cristo. Trata-se da ação missionária por excelência, porque a Eucaristia é fonte e ápice da vida e da missão da Igreja.

«Não podemos reservar para nós o amor que celebramos neste sacramento da Eucaristia: por sua natureza, pede para ser comunicado a todos. Aquilo de que o mundo tem necessidade é do amor de Deus, de encontrar Cristo e acreditar n’Ele. Por isso, a Eucaristia é fonte e ápice não só da vida da Igreja, mas também da sua missão: uma Igreja autenticamente eucarística é uma Igreja missionária».

Cultivando amorosamente a comunhão com Cristo, o discípulo missionário pode tornar-se um místico em ação. Que o nosso coração anele sempre pela companhia de Jesus, suspirando como os dois discípulos: «Fica conosco, Senhor!». Que o missionário do Pai cure nossas cegueiras e ajude-nos a enxergar o compromisso missionário de cada cristão e Igreja local.”

Dom Jaime Pedro Kohl – Bispo de Osório