WEBMAIL

Solenidade da Ascensão do Senhor

 

Minha saudação a todos os irmãos e irmãs que acompanham a Voz da Diocese. Com muito carinho quero saudar, de modo especial, todas as mães pela passagem de seu dia. Manifestar também minha solidariedade a todos os que estão sofrendo em consequência das fortes chuvas em nosso Estado.

Prezados irmãos e irmãs. Neste domingo celebramos a Solenidade da Ascensão do Senhor. Fazemos memória da subida de Jesus aos céus, vivendo o sentido mais profundo de sua ressurreição e da missão que Ele nos confiou. Por sua fidelidade total, o Pai o elevou como o “Senhor de tudo e de todos”.

O Livro dos Atos dos Apóstolos, do qual temos a primeira leitura (At 1,1-11), inicia mostrando que aquilo que Jesus “começou a fazer e ensinar” (At 1,1) tornou-se missão dos discípulos. Eles devem, concretamente, dar continuidade ao projeto que Jesus havia iniciado. Por isso, para fortalecê-los nesta missão, “Jesus se mostrou vivo depois de sua paixão, com numerosas provas. E durante 40 dias, apareceu-lhes falando do Reino de Deus” (At 1,3). Desta forma, o Ressuscitado confirmou-lhes que a missão deles era a mesma de Jesus, o Reino de Deus. Para bem desempenhá-la, prometeu-lhes a vinda do Espírito Santo: “Recebereis o poder do Espírito Santo que descerá sobre vós” (At 1,8). O mesmo Espírito que desceu sobre Jesus, em seu batismo, no Jordão, agora irá fortalecê-los na missão a eles dada por Jesus. E assim, eles são enviados para testemunharem o Amor de Jesus, a Justiça do Reino que Jesus viveu: “sereis minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judeia e na Samaria e até os confins da terra” (At 1,8). Dar testemunho do Ressuscitado é a primeira e principal missão dos Apóstolos e o é também de todos nós, que cremos em Jesus e participamos da comunidade cristã como batizados.

O Evangelho deste domingo (Mc 16,15-20) apresenta a última manifestação do Ressuscitado aos onze e sua ascensão ao céu. Ao manifestar-se a eles, enviou-os dizendo-lhes: “Ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho a toda criatura! Quem crer e for batizado será salvo” (Mc 16,15-16). O mandato de Jesus é que os apóstolos devem anunciar o Evangelho a todos, assim como ele havia feito. Com isso, vê-se que não há ruptura entre a missão de Jesus e a dos Apóstolos. O ministério de Jesus continua na missão da comunidade cristã. Jesus continua anunciando o projeto do Reino na missão de seus discípulos.

Caros irmãos e irmãs. Tanto o Evangelho de Marcos como o Livro dos Atos dos Apóstolos testemunham que depois de cumprir sua missão, Jesus foi levado ao céu, à vista deles, e sentou-se à direita de Deus. O livro dos Atos dos Apóstolos diz que “uma nuvem o encobriu e eles não puderam mais vê-lo” (At 1,9), isto é, eles passaram a vê-lo nos sinais que os acompanhavam. Dois homens apareceram e lhes disseram: “Homens da Galileia, por que ficais aqui, parados, olhando para o alto? ” (At 1,11). Diante do envio do Cristo Ressuscitado, eles não deviam ficar parados, se acomodar, mas colocar-se em missão. O mundo, as realidades difíceis os esperavam. E o Evangelho de Marcos diz que os discípulos “então saíram e pregaram por toda a parte. E o Senhor os ajudava e confirmava sua palavra por meio dos sinais que a acompanhavam” (Mc 16,20).

A Ascensão de Jesus não é, portanto, o seu afastamento do mundo, mas o sinal de sua nova e permanente presença na comunidade dos seus seguidores. Trata-se de uma presença viva, encorajadora, fortalecedora. A Ascensão é o início de um novo modo de Jesus estar presente entre nós. A partir da Ascensão do Senhor, a grande tarefa da comunidade cristã é anunciar o que o Mestre anunciou. O anúncio leva cada pessoa a fazer uma opção e tomar uma decisão: crer e seguir Jesus, inserindo-se na comunidade, onde deve viver os valores do Reino anunciado por Jesus e testemunhá-lo por palavras e ações. O próprio Jesus garantiu: “Quem crer e for batizado será salvo” (Mc 16,16).

Caros irmãos e irmãs. Dois convites especiais quero fazer hoje: Primeiro convite é para rezarmos por todos os atingidos pelas enchentes em nosso Estado. Dizer a cada um e cada uma: Coragem! Deus não nos abandona. Força! Deus nos ama. Ele é nossa esperança! Vamos juntos, na solidariedade de todos, recomeçar.

Segundo convite é para lembrarmos com carinho, neste segundo domingo de maio, de todas as mães, a quem manifestamos nossa gratidão e nosso afeto, rezando para que todas encontrem em todos nós, o reconhecimento e a mesma dedicação que elas têm demonstrado no cuidado dos filhos e filhas. Nossa oração, nossa prece e nossos parabéns a todas as mães.

Deus abençoe a todos e bom domingo.

 

Dom Adimir Antonio Mazali – Bispo Diocesano de Erexim