WEBMAIL

 Solenidade de São Pedro e São Paulo

 

Minha saudação a todos os irmãos e irmãs que acompanham a Voz da Diocese. Neste domingo celebramos a Solenidade de São Pedro e São Paulo. Eles são considerados duas colunas básicas da Igreja. Os dois se encontraram com Cristo e o seguiram de maneiras diferentes. Pedro fez parte do grupo dos Doze; Paulo tornou-se apóstolo posteriormente, a partir do encontro com o Ressuscitado no caminho para Damasco. Os dois acolheram a proposta de Jesus e o anunciaram com a palavra e com o testemunho de suas vidas. Cada um do seu jeito, com suas forças e fraquezas, são exemplos de seguimento a Jesus Cristo, são exemplos de dedicação ao projeto do Reino de Deus, anunciado por Jesus. Os dois foram fiéis e corajosos até o fim, dando a vida como Jesus e por Jesus.

Prezados irmãos e irmãs. A primeira leitura (At 12,1-11) e o Evangelho (Mt 16,13-19) deste domingo lembram a figura de Pedro. O Evangelho descreve o encontro de Jesus com os Doze em Cesareia de Filipe. Ao dirigir-se diretamente a eles, Jesus perguntou-lhes: “E vós, quem dizeis que eu sou” (Mt 16,15)? Pedro, em nome do grupo, respondeu: “Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo” (Mt 16,16). Ao dizer “Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo”, Pedro o reconhece como o próprio Deus presente no meio deles. Sendo o Messias, o Cristo, ele não era um simples profeta, como os do passado, mas o próprio Salvador, portador da justiça do Reino. Somente pode dar uma resposta assim quem tem uma grande intimidade com Cristo. Só entende bem quem é Jesus quem se compromete com sua proposta. O reconhecimento de quem é Jesus não vem de um mero conhecimento intelectual, de um estudo, mas da vivência de sua Palavra. Só responde bem à pergunta Quem é Jesus quem vive e testemunha sua Palavra.

Depois Jesus disse a Pedro: “Tu és Pedro e sobre esta pedra construirei a minha Igreja” (Mt 16,18). Pedro, que representava o grupo dos Doze, é identificado como “pedra” sobre a qual Jesus “construirá” a comunidade, a Igreja. A pedra é tomada com o significado de fundamento. Pedro, ou seja, o grupo dos Doze, são o fundamento, a base sobre a qual Jesus constrói a sua Igreja. Jesus confia a Pedro o poder das “chaves”, um poder institucional, que é serviço ao povo de Deus. Deste modelo é que vem a importância das lideranças para a vida cristã das comunidades, ou seja, estar a serviço da comunidade.

Caros irmãos e irmãs. A segunda leitura (2Tm 4,6-8.17-18) nos lembra o Apóstolo Paulo, o grande missionário. Ele fez do Evangelho de Jesus, depois de sua conversão, sua vida e sua missão. Fez inúmeras viagens missionárias, testemunhando a fé em Cristo ressuscitado e levando o Evangelho aos pagãos. Por onde andava, criava comunidades cristãs, designava lideranças para conduzirem os trabalhos e escrevia cartas, textos catequéticos, para orientar a vida cristã destas comunidades. Para todos nós, hoje, Paulo é exemplo de missionário que soube trabalhar e dar a vida pela causa assumida. A leitura faz um resumo de sua plena dedicação à evangelização aos pagãos, em circunstâncias muito difíceis. Ao final de sua vida, Paulo pode dizer que “combateu o bom combate e conservou a fé” (cf. 2Tm 4,7).

Por isso, neste domingo, a Igreja nos faz retomar estas duas grandes figuras da Igreja Primitiva: Pedro e Paulo. Eles foram dois grandes discípulos com muitas qualidades e virtudes que ao descobrirem quem era Jesus, decidiram segui-lo, dando a vida por sua proposta. Convictos da importância do Evangelho para a vida das pessoas e do mundo, não tiveram medo de testemunhar o Cristo Ressuscitado e de anunciar a Boa Nova a todos, judeus e pagãos. Por causa disto, foram muitas vezes perseguidos e presos, como vemos na leitura dos Atos dos Apóstolos (12,1-11) ao falar da prisão de Pedro. E a leitura da Segunda Carta a Timóteo (4,6-8.17-18) fala de Paulo, que vê aproximar-se a sua hora final e diz: “aproxima-se o momento de minha partida” (2Tm 4,6).

Caríssimos. Pedro e Paulo deram a vida pela causa de Jesus. A presença e atuação deles foi de fundamental importância para a Igreja nascente. Todos somos convidados a nos inspirar no testemunho deles e com o mesmo entusiasmo, nos empenharmos para que o Evangelho seja conhecido, amado e seguido em todo o mundo, como era o projeto de Jesus.

Deus abençoe a todos e bom domingo!

 

 Dom Adimir Antonio Mazali – Bispo Diocesano de Erexim