WEBMAIL

Vida Consagrada – Missão e Profetismo

Estimados irmãos e irmãs em Cristo Jesus! A Igreja no Brasil celebra com seus filhos e filhas, neste Domingo, a Assunção de Nossa Senhora. É uma Solenidade litúrgica, na qual somos envolvidos pela ação de Deus que toca a realidade humana, através da sua palavra, e faz o homem perceber que o seu destino final não é habitar na terra entre os mortos, mas no céu, para participar da glória do Pai, na eternidade, através da ressurreição.

Dentro das celebrações do Mês Vocacional, com gratidão, alegria e esperança, rezamos por todos os religiosos e religiosas, que se consagraram a Cristo, vivendo a vocação, dom de Deus, e servindo a Igreja, Povo de Deus, através dos carismas das Ordens e Congregações Religiosas. A consagração da vida a Cristo, pelos votos de pobreza, obediência e castidade, é uma das mais belas formas do seguimento de Jesus. A pessoa se consagra para viver a sua consagração no seio de uma comunidade, em profunda comunhão com o Senhor, mas sem deixar de anunciar e testemunhar os valores do Reino de Deus, através da missão no mundo. Nestes dois mil anos de cristianismo, a vida consagrada é um sinal visível da ação do Espírito Santo na vida da Igreja. Podemos dizer que, ao longo dos séculos, passou por muitas dificuldades, mas graças a ação do Espírito Santo, soube responder sempre com uma nova primavera aos desafios advindos das mudanças de época, e dar uma resposta criativa, missionária, profética e evangelizadora, para a missão da Igreja, inserida na realidade histórica do Povo de Deus a caminho da casa do Pai. Podemos dizer que os vários carismas da vida consagrada tiveram e têm na Igreja a força para fazer florescer uma nova primavera na evangelização, através da participação ativa no processo sinodal, de uma Igreja em saída, missionária e profética.

Ao longo da história da Igreja, a Vida Consagrada teve um papel profético e ajudou a própria Igreja a fazer um caminho de conversão. A vida religiosa nasce e se desenvolve como uma forma original de seguir Jesus; não é um estado de perfeição, mas um estado de peregrinação. A Igreja reconhece e expressa gratidão aos religiosos e religiosas pelo empenho na ação evangelizadora, nas frentes missionárias e na implantação da Igreja em muitos lugares. Não esquecendo todo o trabalho feito na catequese, na educação, na saúde e nos seminários.

O carisma de cada uma das Ordens e Congregações é dom de Deus, não só para a vida dos membros dos Institutos, mas também para a Igreja e o povo de Deus. Todo carisma só tem sentido quando vivido nesta dimensão. No aspecto vocacional, a Vida Consagrada é um chamado; em modo simbólico, ela manifesta o absoluto de Deus na nossa vida e um modo de ser segundo o Evangelho. Foi no amor a Cristo e por amor a Ele, que os fundadores iniciaram os Institutos de vida consagrada na Igreja, para dar uma resposta de humanização e evangelização, diante de realidades bem concretas, que tocavam a vida da sociedade. Se a vida consagrada, viesse a faltar, seria uma perda enorme para a Igreja. Mas de modo especial, do amor de Cristo, vivido de forma profética, na proximidade, na alegria e na esperança.

Dom José Gislon, OFMCap. – Bispo Diocesano de Caxias do Sul