WEBMAIL

“Vigilantes, caminhamos ao encontro do Senhor”!

Minha saudação aos irmãos e irmãs que acompanham a Voz da Diocese. Com toda a Igreja, iniciamos, neste domingo, um novo Ano Litúrgico e o Tempo do Advento, o qual nos prepara à vinda do Salvador, Jesus Cristo, no Santo Natal. A Sagrada Escritura revela-nos diversas passagens, manifestando expressões diferentes da vinda do Senhor, como diz o Profeta Isaías: “Deus é o nosso Pai”, e “nosso Redentor” (cf. Is 63,16). O primeiro anúncio que a Bíblia nos faz, é que Deus é o Criador. Sua Palavra tem uma força criadora, capaz de gerar vida. Ao mesmo tempo, a Bíblia diz que Deus “desceu” e veio ao nosso encontro. No relato da Torre de Babel, Deus “desceu” para confundir os poderosos que queriam construir a cidade e a torre (cf. Gn 11,5). O Livro do Êxodo diz que Deus “desceu” para libertar os pequenos, os hebreus, escravizados no Egito (cf. Ex 3,7-8). O Profeta Isaías, reforçando esta compreensão, na 1ª Leitura deste Domingo, diz: “Descestes, ó Deus, e as montanhas se derreteram diante de ti” (Is 64,2).

Prezados irmãos e irmãs. O Novo Testamento relata que este Deus, em Jesus de Nazaré, se fez humano. Fazendo-se humano, Ele é, como descreve o Profeta Isaías, o “Emanuel”, o Deus conosco (cf. Is 7,14) . Desse modo, o tempo do Advento tem por objetivo preparar a chegada, a vinda de Deus no meio de nós. Deus, nascendo em Belém, fez-se criança e se deixou envolver “nos panos” da fragilidade humana, assumindo tal condição, menos o pecado.

Vale recordar, que o povo de Israel tinha a certeza de que Deus caminhava com ele. Assim diz o Profeta Isaías: “Vens ao encontro de quem pratica a justiça com alegria, de quem se lembra de ti em teus caminhos” (Is 64,4). Deus vem ao encontro do povo como a fonte da vida, pois Ele é um pai amoroso, conforme nos exorta o mesmo profeta: “Senhor, tu és nosso pai, nós somos barro; tu, nosso oleiro, e nós todos, obra de tuas mãos” (Is 64,7).

Caríssimos irmãos e irmãs. O Advento, vivido nas semanas que antecedem o Natal, é tempo oportuno para resgatar e redescobrir o significado do mistério da Encarnação de Deus na história humana. A Coroa do Advento é um símbolo que nos ajuda perceber os passos que somos convidados a dar na preparação ao Natal e a ver em Jesus a Luz que vem para dissipar as trevas do mundo. A cada domingo é acesa uma nova vela, querendo, com isso, que Jesus venha iluminar nossa vida em todas as suas dimensões. A espiritualidade do tempo do Advento nos convida a uma espera ativa e vigilante, como a mãe que aguarda, com muita expectativa e carinho, o nascimento do filho.

O Natal nos diz que Jesus vem até nós como o “Príncipe da Paz” (cf. Is 9,5) e como a “Luz do mundo” (cf. Jo 8,12). Por isso, construindo relações de comunhão e de paz, encontramos a melhor forma de viver e celebrar o Natal. O próprio Papa Francisco nos convida a construirmos a “cultura da paz”, a “reconstruir a esperança”, e a não ter medo. Pois, com Deus no meio de nós, enfrentamos os medos e inseguranças.

Neste Primeiro Domingo do Advento, é-nos feito o convite para acendermos a vela da vigilância, representada pela vela de cor roxa. O salmo responsorial, da liturgia deste domingo, expressa o anseio do povo de Israel pela paz e pela salvação de Deus. Mesmo em contexto de conflitos e guerras, queremos aclamar uníssonos, com o Salmista: “Ó Pastor de Israel, vinde logo nos trazer a salvação! Votai-vos para nós, ó Deus do universo! Olhai dos altos céus. Visitai a vossa vinha e protegei-a” (cf. Sl 79).

Jesus, no Evangelho, fala aos discípulos a respeito do cuidado que eles devem ter em relação à vida, dizendo: “Cuidado! Ficai atentos, porque não sabeis quando chegará o momento (…) Vigiai porque não sabeis quando o dono da casa vem (…) Que em sua vinda não vos encontre dormindo (…) Vigiai”! (Mc 13, 33. 35-37b). No hoje de nossa história, somos convidados a “não dormir”, a não ficarmos desatentos. A vigilância de que Jesus nos pede implica uma presença viva e ativa na comunidade de fé e na sociedade. Neste tempo de Advento somos convidados, portanto, a “vigiar” e não deixar o tempo passar, pois “O Senhor está próximo!” (cf. Fl 4,5). Vigilantes, caminhemos ao encontro do Senhor!

A todos, um iluminado Tempo de Advento e preparação ao Natal do Senhor.

Deus os abençoe e bom domingo!

Dom Adimir Antonio Mazali – Bispo Diocesano de Erexim