WEBMAIL

Episcopado Gaúcho se prepara para a 61ª Assembleia Geral da CNBB

 

No próximo dia 10 de abril, às 9h, acontece a sessão solene de abertura da 61ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (AG CNBB), em Aparecida – SP. A Assembleia se estende até o dia 19 de abril, com 27 sessões ao longo das duas semanas. Para a pauta, as discussões principais giram em torno do tema central: A realidade da Igreja no Brasil e a atualização de suas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora.

Participam do evento os cardeais, os arcebispos, os bispos diocesanos, auxiliares e coadjutores, além de alguns bispos eméritos, administradores diocesanos e representantes de organismos e pastorais da Igreja. Hoje, a Igreja Católica no Brasil possui 279 circunscrições eclesiásticas. O número de bispos no país é de 482, dos quais 316 estão no exercício do governo pastoral de alguma Igreja Particular e outros 166 são bispos eméritos.

Do Rio Grande do Sul, o grupo que vai a Aparecida para a 61AGCNBB será de 26 pessoas: 17 bispos titulares – entre eles os 4 arcebispos -, 4 bispos auxiliares, o administrador diocesano de Rio Grande e 2 bispos eméritos. Além destes, também estarão o Secretário Executivo do Regional, Pe. Rogério Alencar Ferraz de Andrade e a jornalista e assessora de comunicação, Victória Holzbach.

O vice-presidente do Regional Sul 3, dom Cleonir Dalbosco, explica que a assembleia geral da CNBB é um evento de comunhão e corresponsabilidade com a Evangelização de todo o Brasil. Dom Cleonir fala sobre as expectativas para o evento:

A assembleia geral é esperada com alegria, porque é um evento de comunhão entre todos os bispos do Brasil. É uma oportunidade de crescimento eclesial, espiritual e humanitário. Mesmo com as diferenças, temos a consciência que somos todos irmãos. Eu, pessoalmente, fico esperando esse momento com muito otimismo… sei que vou com uma expectativa e volto com muitas experiências e conhecimentos. Somos peregrinos da esperança!

O bispo auxiliar de Porto Alegre, dom Juarez Destro, tem experiência em participar da assembleia como assessor da Comissão para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada da CNBB, onde atuava até o ano passado. Entretanto, esta será a primeira assembleia de dom Juarez como bispo, integrando o episcopado gaúcho. Segundo o prelado, o momento é aguardado com uma expectativa “plural”, conforme explica: “Vejo como um momento importante de convivência, oração, partilha, informação, formação e, claro, decisões e estratégias. Será a primeira assembleia da nova gestão da entidade, numa dinâmica que pretende ser sinodal”.

Este ano, durante a reflexão sobre o tema central, os bispos do Brasil viverão a experiência do processo do Sínodo sobre a Sinodalidade conhecida como “conversação espiritual”, a dinâmica também é denominada “diálogo no Espírito”, com a organização das mesas sinodais.

Temas Prioritários

A pauta inclui o tema central – A realidade da Igreja no Brasil e a atualização de suas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora, 3 temas prioritários (Sínodo dos Bispos 2021-2024, Jubileu 2025 e Juventude) e assuntos a serem tratados em razão da previsão estatutária da Conferência (Doutrina da Fé, Liturgia, Relatório do anual da presidência, relatório econômico, Textos Litúrgicos – CETEL).

Outros 18 temas e informes diversos constam da programação da assembleia dos bispos: Análise de Conjuntura Social e Eclesial, Gestão, Inteligência Artificial, Conselho Episcopal Latino Americano e Caribenho, Comissão Comunhão e Partilha, Colégio Pio Brasileiro, Comissão Episcopal para Ação Missionária e Cooperação Intereclesial e o projeto Igrejas Irmãs, Ministérios Laicais, Estatuto e Regimento da CNBB, Comissão para a Causa dos Santos, Comissão Especial para a Amazônia, Congresso Missionário Nacional, Acordo Brasil-Santa Sé, COP 30, Comissão Especial para os Bispos Eméritos, Eleições Municipais, Campanhas e Organismos do Povo de Deus. O bispo de Dori em Burquina Faso, dom Laurent Dabiré, fará testemunho sobre a realidade da Igreja em seu país.

A Assembleia emitirá ainda quatro mensagens: ao Papa, ao prefeito do Dicastério para os Bispos, ao povo brasileiro e ao povo católico.

Celebrações e retiro

Todos os dias, no Santuário Nacional, às 7h, os bispos participarão das celebrações eucarísticas da 61ª AG CNBB. Haverá também uma celebração penitencial no dia 11 de abril.

Diferente das edições anteriores, o retiro dos bispos será logo nos primeiros dias da Assembleia, dias 10 e 11 de abril. E no sábado, 13, às 18h, os bispos rezam o terço no Santuário. Haverá também uma celebração penitencial no dia 11 de abril e uma inter-religiosa no dia 17.

 

CNBB Sul 3