Notícias › 27/08/2020

31 de agosto: 260 anos da primeira capela curada de Santo Antônio da Patrulha

Santo Antônio da Patrulha é um dos quatro primeiros municípios do Rio Grande do Sul. Com colonização basicamente de origem açoriana, com o decorrer do tempo passou a ser ocupado também por italianos, alemães e poloneses. Assim como muitas cidades brasileiras, tem sua fundação atrelada a construção de local para a religiosidade de seus primeiros habitantes.

Em 04 de setembro de 1756, dom Frei Antônio do Desterro, na época bispo do Rio de Janeiro, expede uma portaria criando a “Paróquia de Cima da Serra” e, nessa mesma portaria, incentiva os moradores da região dos campos de “Tramandaí”, atual território patrulhense e arredores, a construir capelas para as quais ele nomearia capelães para administrá-las e esses ficariam subordinados ao pároco de Viamão.

Gravura da capela feita em 1973 pela senhora Alice Maciel

No dia 10 de setembro do mesmo ano, Inácio José de Mendonça e Silva e sua esposa, Margarida da Exaltação, tomaram conhecimento do pedido do bispo quando foram na paróquia de Viamão batizar a primeira filha do casal. Sensibilizados com o pedido do bispo, decidiram construir uma pequena capela em sua propriedade. Passado algum tempo, o bispo foi informado de que o casal havia construído uma capela e então editou outra portaria em 31 de agosto de 1760, criando a “Capela Curada da Guarda Velha de Viamão”, dedicada a Santo Antônio.

Na portaria que criou a Capela também nomeou um presbítero da Ordem de São Pedro, o padre Francisco Coelho de Fraga, como capelão e autorizou o mesmo a benzer a igrejinha e o cemitério para a sepultura dos mortos. A decisão do casal em construir a capelinha mudou para sempre a história da região. Provavelmente foi construída no ano de 1759.

Segundo historiadores, a construção foi feita de material da região com pouca durabilidade, provavelmente de madeira, barro, pedras e palha. Foi a sétima criada nas terras do Rio Grande do Sul, sendo utilizada por treze anos, quando em 1773 construíram outra igreja ao lado da antiga, localizada na Avenida Borges de Medeiros, onde hoje é a atual Pira da Pátria em homenagem ao casal considerado, devido a construção da capela, os fundadores de Santo Antônio da Patrulha.

Conforme pesquisas, provavelmente a capela foi inaugurada entre os dias 23 e 31 de dezembro de 1760, data que não foi possível ser confirmada, pois o primeiro livro Tombo da Paróquia Santo Antônio, onde deveria constar esse registro não foi localizado.  Segundo o padre Ruben Neis, em sua obra “Guarda Velha de Viamão – No Rio Grande do Sul miscigenado surge Santo Antônio da Patrulha”, “a portaria do bispo criando a capela curada é o documento mais importante da história de Santo Antônio da Patrulha”.

Um passo importante para Santo Antônio da Patrulha

Em 22 de março de 1761 , dom Frei Antônio, por meio de uma nova portaria, cria a Freguesia (Paróquia) de São Francisco de Paula de Cima da Serra, nomeia  como pároco o padre José da Silva Leal Leme e pede a construção de uma igreja, pedido que não foi atendido. No ano seguinte, em 26 de junho de 1762, o bispo edita outra portaria determinando que os moradores daquela região ficassem subordinados à Capela Curada de Santo Antônio da Guarda Velha de Viamão.

Conforme registra o padre Neis, em 1760, por ocasião da criação do Curato de Santo Antônio, a região tinha uma população estimada em 413 pessoas. Com a anexação da Freguesia de São Francisco de Paula em 1762, essa população cresceu e tornou-se difícil a administração espiritual de todo esse território pela paróquia de Viamão, a qual todos estavam subordinados.

No dia 08 de outubro de 1763, o bispo Dom Frei Antônio criou a Freguesia (Paróquia) de Santo Antônio da Guarda Velha, desvinculando-a da Paróquia de Viamão e transformando a Capela Curada em Igreja Matriz. O primeiro pároco foi o padre Francisco Coelho de Fraga, que tinha sido também, o primeiro capelão curado.

As pesquisas destacam que a pequena capela construída pelo casal Inácio e Margarida foi a semente que germinou e que culminaria na criação da Freguesia (Paróquia) Santo Antônio da Guarda Velha, a primeira em devoção à Santo Antônio, no estado do Rio Grande do Sul. A área territorial da Freguesia (Paróquia) ficou então com uma grande extensão, abrangendo as regiões de São Francisco de Paula, Vacaria, Bom Jesus, Tramandaí, Osório e Torres.

Atualmente, Santo Antônio da Patrulha conta com uma população estimada de cerca de 43 mil habitantes, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, e possui três Paróquias, a Santo Antônio, na Cidade Alta, Nossa Senhora da Boa Viagem, no bairro Pitangueiras, e Santa Teresinha, na comunidade da Vila Palmeira.

Atualmente a Paróquia Santo Antônio tem por pároco o padre Adalberto Lumertz Borges e convida a todos a celebrar os 260 anos da primeira Capela Curada por meio de programação que será transmitida pela página da Paróquia no Facebook: www.facebook.com/paroquiasantoantoniopatrulha

Com a graça de Deus no próximo dia 31 de agosto, segunda-feira, celebraremos os 260 anos da nossa primeira Capela Curada com uma programação especial com uma Celebração Eucarística às 17h30min, na igreja Santo Antônio, com transmissão ao vivo pelo Facebook e, logo após, o descerramento da placa comemorativa. Na sequência, benção de reinauguração do oratório Santo Antônio, seguida de procissão motorizada até o paradouro Santo Antônio, na entrada da cidade para benção da maior imagem de Santo Antônio no município“, convida padre Adalberto.

Com informações da Diocese de Osório