Artigos, Bispos › 20/05/2022

A Igreja nasceu do Coração de Cristo

Por séculos, Deus tem preparado os eleitos para a vinda do Messias Redentor.

Jesus veio a este mundo há dois mil anos. Muitos não o receberam. Mas há outros que o acolheram e são completamente devotados a Ele. Ele escolheu os Doze Apóstolos, e com eles estabeleceu a sua Igreja: a Una  Santa, Católica e Apostólica Igreja.

Os apóstolos partiram pelo mundo para encontrar pessoas e convidá-las a vir ao encontro de Cristo, à sua Igreja. Graças a eles e aos seus sucessores, também nós somos hoje a Igreja de Cristo, como nos ensina a 1ª Leitura (Atos 15,1-2, 22-29). Como somos gratos pelo Senhor ser um amigo verdadeiro que nos ama e nos acolhe! Ele não precisa de nós, mas nos convida para o seu Reino. Por isso o louvamos com todos os que nele creem e por todos os povos da terra! (Salmo Responsorial 66). Ao fazermos parte da Igreja, procuramos ser bons cristãos e buscamos o caminho da perfeição e santidade para tornar a Igreja mais presente no mundo e mais bonita. Isto é o que a 2ª leitura da Missa de hoje nos ensina (Apocalipse 21, 10-14, 22-23).

Se cumprirmos bem o nosso dever de cada dia em casa, na escola, no trabalho, na sociedade, se vivermos em união com o Senhor, quem não crê começará a refletir, e talvez se junte a nós, porque uma luz diferente ilumina nossas vidas. Não nos esqueçamos do conselho do Senhor no Evangelho de hoje (João 14:23-29): “Aquele que me ama guardará a minha palavra, e meu Pai o amará; viremos para ele e com ele viveremos”. O Senhor nos ama tanto que deu sua vida, até ser crucificado por nós.

Sabendo que somos pecadores, deixou-nos o Sacramento da Penitência para nos perdoar sempre.

Ele nos encontra na Santa Missa, na Eucaristia e nos dá todas as graças que precisamos para cumprir a missão que nos foi confiada em nossa vida terrena.

Aos desanimados, ele apresenta o exemplo dos santos que vivem em nosso mundo que conseguiram superar as dificuldades normais que surgem, sempre por amor a Deus e ao próximo.

Para aqueles que hesitam, aponta para a perseverança dos anjos que são sempre leais a Deus, ajudando as pessoas a vencerem as tentações do diabo e nunca se separarem dele.

O Senhor nos deu como mãe sua própria mãe, a Virgem Maria. Nossa Senhora está presente na Igreja e no mundo para nos mostrar o caminho, para nos proteger do perigo, para nos acompanhar na vida e estar conosco na hora da morte, para que sejamos felizes para sempre no céu.

Queridos irmãos, por ocasião da visita Ad Limina, em Roma, que nos últimos dias, nós Bispos do Rio Grande do Sul fizemos, desejo transmitir a vocês todos as bençãos que recebemos do Papa Francisco. O Papa está com muita dor e sofre de um problema em um dos joelhos, mas está feliz por receber a tão esperada visita dos bispos brasileiros que estão afluindo a Roma, pouco a pouco. Rezemos por ele e especialmente por sua saúde.

Dom Antonio Carlos Rossi Keller – Bispo de Frederico Westphalen