Artigos, Bispos › 18/04/2022

A Presença do Papa em Santa Maria

Santa Maria recebe em abril o representante do Papa no Brasil, o Núncio Apostólico Dom Giambattista Diquattro, que pela primeira vez visitará o Rio Grande do Sul. Ele virá para impor o pálio arquiepiscopal no novo Arcebispo.

O pálio – derivado do latim pallium, significa manto de lã. Trata-se de uma insígnia litúrgica usada pelo Papa e pelos arcebispos. É uma espécie de colarinho de lã branca, com seis cruzes bordadas em lã preta que recordam as chagas de Cristo. Possui uma volta no centro e quando visto da parte dianteira ou traseira se assemelha à letra Y.

É confeccionado com a lã de dois cordeiros, criados pelos monges trapistas da Abadia de Tre Fontane, em Roma. E, desde 1644, estes são abençoados pelo Abade na Basílica de Santa Inês Fora dos Muros, no dia 21 de janeiro, festa de Santa Inês. É tecido e costurado pelas irmãs de clausura do convento romano de Santa Cecília, e são guardados sobre as relíquias de São Pedro no Vaticano até o dia 29 de julho, solenidade de São Pedro e São Paulo, quando são entregues aos arcebispos nomeados desde a mesma data do ano anterior. Colocado sobre os ombros do arcebispo, o pálio representa a ovelha carregada pelo pastor, sinal da missão pastoral em comunhão com o Papa. Desde o século VI, o pálio foi considerado veste litúrgica, para ser usada somente na Igreja.

Na festa de São Pedro de 2021 o Papa Francisco abençoou os pálios na Basílica de São Pedro em Roma, por causa da pandemia, os arcebispos brasileiros não puderam comparecer, dentre eles estava o atual arcebispo de Santa Maria. Os pálios abençoados foram enviados à Nunciatura Apostólica no Brasil para que o Núncio Apostólico imponha a insígnia aos arcebispos em suas sedes. É o que ocorrerá em 21 de abril próximo, às 10 horas na Basílica da Medianeira. Pela primeira vez na história, essa celebração ocorrerá em Santa Maria, pois Dom Hélio Adelar Rubert recebeu em 29 de junho de 2011 em Roma, pelas mãos do Papa Bento XVI. Desde 2015, o Papa apenas entrega o pálio aos arcebispos metropolitas no dia da Festa de São Pedro. A imposição é feita nas arquidioceses pelo Núncio Apostólico no país.

O pálio entregue em Santa Maria nos aproxima ainda mais do Sucessor do Apóstolo Pedro, o Papa. Foi São Pedro que recebeu de Jesus o encargo de “apascentar as ovelhas”. O pálio é sinal do encargo pastoral entregue aos arcebispos. Eles devem cuidar de todo rebanho do Senhor, especialmente das ovelhas tresmalhadas.  O pálio ainda é sinal distintivo da responsabilidade própria do arcebispo metropolita no âmbito de sua província eclesiástica.  A Província de Santa Maria reúne seis dioceses. Além da arquidiocese homônima, é composta pelas dioceses de Cruz Alta, Santa Cruz do Sul, Santo Ângelo, Uruguaiana e Cachoeira do Sul.  Ao Núncio Apostólico nos dirigimos dizendo: Bendito o que vem em nome do Senhor!

Dom Leomar Antônio Brustolin – Arcebispo Metropolitano de Santa Maria