Artigos, Bispos › 26/11/2021

Acolher a luz do Senhor

Estimados irmãos e irmãs em Cristo Jesus! Estamos iniciando o Tempo do Advento, “tempo de espera e esperança”. Creio ser oportuno recordarmos a nossa missão de batizados na Igreja e no mundo: “anunciar o Evangelho do Senhor Jesus”; ser promotores da paz e da justiça do Reino; velar pela vida como dom de Deus.

Para sermos discípulos do Mestre Jesus é preciso conhecê-lo, porque não podemos dar testemunho de quem não conhecemos. Quando aceitarmos no nosso coração que o Senhor Jesus é o caminho a verdade e a vida, que nos conduz ao Pai, então aceitaremos caminhar com Ele, nos momentos bonitos, mas também naqueles difíceis que a vida nos apresenta.

O caminho do encontro com o Senhor passa pelo coração, é percorrido através da estrada do amor, da compaixão, do perdão e da reconciliação e, às vezes, em meio à violência tão presente na nossa sociedade. Podemos ser missionários em tantas realidades do mundo, mas devemos manifestar e testemunhar a nossa fé no Senhor primeiramente no lugar onde vivemos, a começar na nossa família, primeira Igreja e comunidade de fé, primeira escola de formação humana e cristã.

A história da humanidade, e a nossa pessoal e familiar, é marcada por conquistas e glórias, mas também por perdas e sofrimentos, dor e esperança. A história dos grandes personagens da Sagrada Escritura não foi diferente. Quando olhamos a história dos patriarcas, Abraão, Isac e Jacó, ou dos profetas, percebemos que foram homens marcados fortemente por uma proximidade com Deus, mas provados duramente na realidade dos homens. Mesmo assim não abandonaram a fé e a esperança, graças a confiança em Deus, venceram as provações deste mundo, não se deixaram abater ou  prostrar à beira do caminho, como derrotados ou vencidos pelo desânimo.

O apóstolo São Paulo (1Ts 3,12-4,2) nos ajuda a entrar neste novo Advento como um tempo de crescimento humano e espiritual. Para fazer isso, o apóstolo nos lembra das “regras da vida”, que nos tocam a cada dia, na nossa abertura ao Evangelho: “o amor entre vós”. No mistério do Natal contemplamos o Verbo que se fez carne. Preparar-se para celebrar o Santo Natal significa “abrir espaço no nosso coração” para poder crescer ainda mais no amor, que jamais se dobra sobre si mesmo, numa atitude de egoísmo e indiferença, mas sempre se abre para manifestar a graça da presença do Senhor Jesus no mundo.

O tempo do Advento é um tempo para estarmos em vigília e oração, a caminho, sem descuidar da fé, e, ao mesmo tempo, mantendo o silêncio, que abre espaço no nosso coração para nos deixar surpreender pelas coisas bonitas que Deus tem a nos oferecer a cada novo dia da nossa vida.

+ Dom José Gislon, OFMCap. – Bispo Diocesano de Caxias do Sul