Artigos, Bispos › 10/12/2021

“Alegrai-vos no Senhor”(Fl 4,4)

Prezados irmãos e irmãs que acompanham Voz da Diocese, nossa saudação e nossa estima com as palavras de São Paulo aos Filipenses: “Alegrai-vos sempre no Senhor; eu repito, alegrai-vos” (Fl 4,4).

Celebramos a liturgia do 3º Domingo do Advento e este nos convida à alegria pela proximidade da chegada do Senhor. Mas não é uma alegria qualquer e nem nos acomoda, ela é dinâmica e nos move a apressar a preparação para o natal, pois, “O Senhor está próximo” (Fl 4, 5b).

O Profeta Sofonias, na primeira leitura recorda ao povo de Israel que Deus retirou a condenação prometida por causa de seus pecados e convido-o a buscar a reconciliação com Deus. Ele também centra sua palavra no incentivo à alegria que resulta da presença de Deus em seu meio. “Alegra-te e exulta de todo o coração, cidade de Jerusalém! […} O Senhor, teu Deus, está no meio de ti”. (Sf. 3,14b.17).

Na mesma tonalidade, o Salmista, embasado no texto de Isaías convida o povo a reconhecer e alegrar-se pela presença Deus, dizendo: “Exultai cantando alegres, habitantes de Sião, porque é grande em vosso meio o Deus Santo de Israel”! (cf. Is 12)

São Paulo aos Filipenses ao dizer que o Senhor está próximo, exorta à confiança na sua presença e a depositar junto a Ele, toda a vida, sejam “orações e súplicas, acompanhadas de ação de graças” (Fl 4,6). Com isso, o Senhor lhe concederá a paz a seus corações. Convida também a serem bondosos e alegres na presença do Senhor.

Toda esta realidade nos estimula a compreender que não estamos sozinhos e nos remete novamente, neste tempo do advento, ao Deus que veio, o recordado no mistério de sua encarnação; ao Deus que vem, como presença permanente em nosso meio; e o sentido escatológico do Deus que virá no fim dos tempos.

Retomando a figura de João Batista como o precursor, São Lucas, no Evangelho apresenta a proposta de conversão indicada por ele que responde a pergunta da multidão: “O que devemos fazer?” João Batista estimula a atitudes concretas àqueles que querem acolher verdadeiramente a chegada do Messias. “Quem tiver duas túnicas, dê uma a quem não tem; e quem tiver comida, faça o mesmo; não cobrar mais do que o estabelecido; não fazer falsas acusações” (cf. Lc 3,10-14). Desta forma, se realiza o projeto de justiça querido por Deus.

Caríssimos irmãos e irmãs. Ainda é tempo de preparar-se de forma ativa e efetiva, mudando os comportamentos e atitudes que refletem a sinceridade do coração em tornar-se a manjedoura do presépio verdadeiro onde Jesus quer nascer. É em nossa vida, em nosso coração que ele quer fazer morada. É em nossa família que ele quer ser acolhido e amado. Com isso, vivemos ainda a indicação da Campanha da Evangelização que nos envia: “Ide, sem medo, para servir!”.

Que a proximidade do Natal nos contagie e renove em nós a esperança, a solidariedade e o amor em todos os nossos relacionamentos. “Alegrai-vos sempre no Senhor, eu repito, alegrai-vos!” (Fl 4,4). Deus abençoe a todos.

Dom Adimir Antonio Mazali – Bispo Diocesano de Erexim