Artigos, Bispos › 23/07/2021

Avós e Idosos: “Eu estou contigo todos os dias”

Prezados irmãos e irmãs! Minha saudação de fé esperança neste ano jubilar de nossa diocese, em meio aos desafios que os tempos atuais se nos impõem.

A liturgia, em seu Tempo Comum, impele-nos a acompanhar a vida pública de Jesus Cristo, caminhando e seguindo seus passos, a fim de adquirirmos a qualidade de Seu Espírito. E, neste final de semana, o 17º Domingo do tempo comum, a liturgia da Palavra nos convida a partilhar o “Pão” da vida com todos aqueles que têm “fome” de amor, de liberdade, de justiça, de paz, de esperança. O próprio Cristo, “Pão da Vida”, ensina a seus discípulos e apóstolos, de ontem e de hoje, que a evangelização não significa apenas questão de doutrina, mas antes de acolhida, de bondade, de ternura e disponibilidade para agir em favor do povo faminto de pão material e espiritual. Jesus ensina aos discípulos que o critério humanitário, ou seja, o cuidado com o povo, especialmente com as pessoas humanas mais vulneráveis, sofridas e esquecidas, deve ser um critério transversal de toda a vida eclesial e sua ação evangelizadora e pastoral.

Neste final de mês de julho, comemoramos a vida e a história dos nossos irmãos e irmãs colonos de ontem e agricultores de hoje, como também os motoristas, homens e mulheres, caminhoneiros das longas e sinuosas estradas da vida. Que o Bom Deus, por intercessão de São Cristóvão, abençoe a todos, retribuindo-os com proteção, paz e saúde, sempre!

Estimados irmãos e irmãs, não poderíamos deixar de evidenciar a mensagem de nosso querido e amado Papa Francisco, por ocasião do primeiro Dia Mundial dos Avós e dos Idosos, neste domingo 25 de julho, instituído pelo próprio Pontífice, e que será lembrado sempre no quarto domingo de julho, de cada ano.

O Papa Francisco recorda que ele próprio, como idoso, gostaria de encorajar a cada idoso, vovó e vovô, dizendo que a Igreja está solidária com eles, especialmente nestes tempos difíceis de pandemia, “dura provação que se abateu sobre a vida de cada um dos idosos”, preocupando-se em amar e jamais deixá-los abandonados. Continua Papa Francisco, o objetivo do Dia Mundial dos Avós e idosos, está nas palavras de Cristo: “Eu estou contigo todos os dias” (Mt 28, 20). Assim, o Papa pede a atenção dos idosos e Avós para que cada um descubra, hoje, nesta etapa da vida, a sua vocação e missão. E o próprio Santo Papa indica qual é essa vocação e missão, afirmando: “Salvaguardar as raízes, transmitir a fé aos jovens e cuidar dos pequeninos […] É preciso pôr-se a caminho e, sobretudo, sair de si mesmo para empreender algo novo”.

O Papa Francisco insiste na missão dos idosos e Avós diante da crise humanitária e mundial pela qual atravessamos, ressaltando que “[…] Todos devemos ser parte ativa na reabilitação e apoio das sociedades feridas”. E, nesta nova construção da sociedade, três são os pilares de sustentação: “os sonhos, a memória e a oração. A proximidade do Senhor dará […] a força para empreender um novo caminho pelas estradas do sonho, da memória e da oração”. Os idosos e Avós devem continuar a sonhar, estimulando os jovens a terem novas visões e, juntos, construir um futuro de justiça, de paz, de solidariedade. “Nisto, intui o Papa, se vê como os sonhos estão entrelaçados com a memória […] Mas, sem memória não se pode construir; sem alicerces, tu nunca construirás uma casa. Nunca. E os alicerces da vida estão na memória”, conclui o Papa.

E, por fim, a oração. Citando o Papa Bento XVI, Francisco salienta: “A oração dos idosos pode proteger o mundo”. E mais, reafirma que a oração dos Idosos e Avós é um “recurso preciosíssimo, é um pulmão de que não se podem privar a Igreja e o mundo”.

E assim, o Papa Francisco encerra sua mensagem no Dia Mundial dos Avós e Idosos: “<Eu estou contigo todos os dias>. Avante e coragem! Que o Senhor vos abençoe”.

Assim seja!

Dom Adimir Antonio Mazali – Bispo Diocesano de Erexim – RS