Destaques › 09/05/2019

Bispos gaúchos elegem a nova presidência do Regional Sul 3 da CNBB

Dom José Gislon, bispo de Erexim, foi eleito na tarde desta quinta-feira, 09 de maio, o novo presidente do Regional Sul 3 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). O episcopado gaúcho também escolheu Dom Rodolfo Luís Weber, arcebispo de Passo Fundo como vice-presidente e Dom Adilson Pedro Busin bispo auxiliar de Porto Alegre, como secretário. A eleição foi realizada durante a 57ª Assembleia Geral da CNBB, em Aparecida (SP).

Biografia:

Dom Frei José Gislon

Nasceu no dia 23 de fevereiro de 1957, no município de Dona Emma, SC. É o terceiro dos nove filhos de Vicente Gislon e Jurema Gislon.

Frequentou o serviço militar, de maio de 1976 a abril de 1977, no quartel da Polícia do Exército de Brasília.

Ingressou no Seminário Santa Maria, dos freis Capuchinhos, em Engenheiro Gutierrez, Irati, PR em 1978, onde cursou o 2º grau e postulantado.

Ingressou no noviciado em 24 de janeiro de 1981, no Convento Na. Sra. das Mercês, e emitiu os primeiros votos no dia 24 de janeiro de 1982.

Frequentou o curso de filosofia em 1982 e 1983, no Instituto de Filosofia dos Freis capuchinhos, em Ponta Grossa-PR. Concluiu a teologia no Instituto Teológico Paulo VI, em Londrina, PR. Emitiu os votos perpétuos em 24 de novembro de 1987, em Ponta Grossa.

Ordenado diácono em 24 de novembro de 1987, em Ponta Grossa. Foi ordenado sacerdote em 28 de maio de 1988, em Uraí, PR.

Fez o Curso de História da Igreja – Mestrado, na Universidade Gregoriana de Roma, de outubro de 1992 a janeiro de 1996.

Atividades exercidas

Diretor do Seminário Na. Sra. Assunção, coordenador da PV regional, Vigário paroquial, Uraí, PR; Guardião, ecônomo e mestre de aspirantes, no Convento Santo Antônio, em Almirante Tamandaré, PR; professor de História da Igreja no Studium Teológico de Curitiba, PR e no CINTEC (Centro Interdiocesano de Teologia de Cascavel, PR); Definidor Provincial, Ecônomo Provincial e local, secretário de economia, administração e serviço fraterno; Guardião e Ecônomo da Fraternidade Na. Sra. das Mercês em Curitiba, PR; Ministro Provincial da Província São Lourenço de Brindes, do Paraná,  Santa Catarina e Paraguai; Definidor Geral da Ordem; como Definidor Geral foi presidente da Comissão Internacional de Solidariedade Econômica da Ordem.

Nomeado Bispo da Diocese de Erexim, RS pelo Santo Padre o Papa Bento XVI, no dia 06 de junho de 2012.

Ordenação Episcopal, dia 03 de agosto de 2012, na igreja Na. Sra. das Mercês em Curitiba, PR.

Início de seu ministério episcopal na Diocese de Erexim, dia 19 de agosto de 2012, na Catedral São José, em Erechim, RS.

O brasão de Dom José

Escudo francês, moderno, retangular oblongo, dividido em três campos. No primeiro campo em azul, aparece a letra “M” (abreviação de Maria) envolta com doze estrelas, douradas. O azul simboliza caridade e justiça e, além disso, a grande devoção à Virgem Maria da Igreja, da Diocese e da Ordem Franciscana, a defensora da Imaculada Conceição. No segundo campo, em área vermelha para indicar a fortaleza e a decisão no agir, aparece o emblema da Ordem Franciscana, com um braço de Cristo e outro de São Francisco de Assis, em forma da cruz de Santo André, tendo as mãos estigmatizadas indicando a Ordem à qual o Bispo pertence. Na base interna, atravessando os dois campos, vê-se um livro aberto, simbolizando a Palavra de Deus e a presença de Cristo através dos tempos nas letras Alfa e Ômega (princípio e fim de tudo). O escudo é encimado por uma cruz episcopal dourada com três pontas sobre um mastro, coberta por um chapéu prelatício, do qual pendem cordões que se unem em três ordens de 1, 2 e 3 flocos, num total de 12 para os bispos, simbolizando os 12 apóstolos. E tudo em cor verde, que indica esperança, fé e amizade. Sob o escudo, uma faixa prateada, na qual aparece, em maiúsculo, o lema episcopal “IN CARITATE AMARE ET DILIGERE” (Amar e servir na caridade), o núcleo fundamental da missão do Bispo.

Biografia:

Rodolfo Luís Weber (Bom Princípio, 30 de agosto de 1963) sexto bispo de Passo Fundo, sendo seu terceiro arcebispo. Filho de Oscar Inácio e Olga Luísa Weber, sendo o sexto do casal, em total de 10 irmãos.

Nasceu aos 30 de agosto de 1963 na localidade de Santa Teresinha, distrito de Bom Princípio (mesma localidade natal de Dom Vicente Scherer), no Rio Grande do Sul.

Recebeu o sacramento do Batismo no dia 1 de setembro de 1963 e a Confirmação no dia 13 de janeiro de 1964. Aos 11 de novembro de 1973 recebeu a primeira Eucaristia. Dos anos de 1970 a 1975 fez seus estudos primários em sua terra natal.

Ingressou em 1976 no Seminário Menor São João Vianney, em Bom Princípio. De 1977 a 1982 fez os estudos secundários e o curso do propedêutico no Seminário Menor São José, em Gravataí.

Dos anos de 1983 a 1990 foi para o Seminário Maior Nossa Senhora da Conceição, em Viamão, onde cursou a faculdade de Filosofia. Cursou a faculdade de Teologia na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. No dia 17 de junho de 1990 recebeu a ordenação diaconal na Paróquia São Luiz Gonzaga, em Porto Alegre.

Aos 5 de janeiro de 1991 foi ordenado sacerdote em sua terra natal. No mesmo ano iniciou seu ministério pastoral como presbítero sendo vigário na Paróquia Santo Antônio, na cidade de Santo Antônio da Patrulha, até 1992.

De 1993 a agosto de 1997 foi formador no Seminário Maior em Viamão, sendo assistente dos seminaristas do curso de Filosofia. Nos anos de 1993 e 1994 prestou auxílio pastoral na Paróquia NosSa Senhora de Fátima, em Viamão. De 1995 a 1997 e depois do ano 2000 até 2007 auxiliou na Paróquia São José, na cidade de Alvorada.

De 1993 a 1996 foi vice-diretor e professor da Faculdade de Filosofia Nossa Senhora da Imaculada Conceição, a FAFIMC. De 1994 a 1996 foi professor do Centro de Estudos Teológicos João Vianney, o CETJOV. Nos anos 2000 e 2001 foi diretor do mesmo centro; todos estes sediados no seminário em Viamão.

Em 1997 iniciou o curso de mestrado em Filosofia na Pontifícia Universidade Gregoriana em Roma, onde terminou em 1999. De 19 de setembro de 1999 a 5 de janeiro de 2000 foi o administrador paroquial da Paróquia Nossa Senhora do Mont’Serrat, em Porto Alegre. De 2000 a julho de 2002 foi eleito diretor da FAFIMC.

Do ano 2000 a 2007 foi reitor do Seminário Maior Nossa Senhora da Conceição em Viamão; período de grande transformação para aquele seminário, que deixou o antigo prédio e foi instalado nas novas casas. Como reitor do seminário, pode liderar todo o processo de construção e transição.

Em 2008 foi eleito diretor da Associação Fraterno Auxílio, da Arquidiocese de Porto Alegre. De 5 de janeiro de 2008 a 19 de abril de 2009 foi pároco da Paróquia Nossa Senhora das Graças, em Gravataí. No Vicariato de Gravataí foi o sacerdote referencial da Pastoral Familiar e representante do vicariato no Conselho de Apoio Financeiro.

Aos 25 de fevereiro de 2009 foi nomeado bispo da Prelazia de Cristalândia no Tocantins. Foi ordenado bispo aos 15 de maio de 2009 na Catedral Metropolitana de Porto Alegre, por Dom Dadeus Grings. Escolheu como lema de vida episcopal: IDE E EVANGELIZAI.

Tomou posse como Bispo Prelado de Cristalândia no dia 31 de maio de 2009.

Em 02 de dezembro de 2015, foi nomeado Arcebispo de Passo Fundo, sendo empossado em 24 de janeiro de 2016. Recebeu o pálio das mãos do Papa Francisco, em 29 de junho de 2016 .

Em sua nomeação, o novo arcebispo disse a respeito de sua disposição à nova missão: “Venho como discípulo missionário que tem muita vontade de aprender. Quero contar sempre com a vossa compreensão e misericórdia”.

Biografia:

Adilson Pedro Busin nasceu em Sarandi (RS) em 20 de maio de 1965. Ingressou em 1979 no seminário da Congregação dos Missionários de São Carlos – Scalabrinianos. Estudou Filosofia na Universidade de Caxias do Sul e Teologia no Instituo Teológico São Paulo (ITESP), em São Paulo. Foi ordenado presbítero em 9 de janeiro de 1993 e enviado ao Paraguay como Animador Vocacional e Orientador Espiritual no Seminário Nossa Senhora de Caacupe, em Ciudad del Este.

Do Paraguay foi para Roma, onde fez mestrado em Ciências da Educação na Universidade Pontifícia Salesiana. Exerceu diferentes funções na congregação no Brasil e também nos Estados Unidos até ser nomeado como bispo auxiliar da Arquidiocese de Porto Alegre pelo Papa Francisco em 2016. A ordenação episcopal ocorreu em 30 de abril do mesmo ano, presidida pelo bispo da Diocese de Caxias do Sul, Dom Alessandro Carmelo Ruffinoni. A celebração foi realizada em Sarandi.

Servo e peregrino no amor

A cruz central é o sinal da doação total e do amor incondicional. Gesto do coração misericordioso que nos doou a salvação. O pão e o vinho representam a eucaristia, fonte e cume de nossa espiritualidade. Continuação da encarnação de Jesus: “Fazei isto…”. O pão e vinho representam a produção da região de Sarandi, terra da uva, do trigo e de outros cereais. Quero prestigiar os agricultores e as origens do campo. As águas e a estrela simbolizam a água do batismo, o dom de ser filhos amados de Deus. As águas da terra do bispo, que nasceu na linha Águas do Angico. Sarandi tem as águas minerais. Lembram as águas do rio Guaíba, da Arquidiocese de Porto Alegre. Águas do aqüífero Guarani. A missão de cuidar da água fonte de vida. O serviço da misericórdia é representado pelas mãos que elevam. Jesus que lava os pés dos apóstolos (Jo 13, 1-17). O Ano da Misericórdia do Senhor (2016). E a estrela é o símbolo de Nossa Senhora de Lourdes, recordando a paróquia de origem. Os pés lavados devem pôr-se a caminho para também servir a humanidade. As sandálias lembram a missionariedade, o despojamento, a disponibilidade do pastor que é peregrino junto com seu rebanho.  O caminho lembra que a vida é um caminho. O pastor põe-se a caminho para apascentar o rebanho. A “Igreja em saída” é Igreja do Caminho. Estar nas ruas, nas estradas onde se encontra o povo. Em Cristo, a Igreja é peregrina no Caminho que nos conduz ao Pai. As humilitas recorda que todos são húmus, feitos do barro, da terra, por isso somos humanos. Somos terreno de Deus. Humilitas, era o lema de São Carlos Borromeu. Na humildade de Maria o Verbo se encarnou. A semente do Verbo quer brotar frutificar na humanidade.

Criador: Pe. Maiquel Sachetti

Atuação:  – Bispo auxiliar da Arquidiocese de Porto Alegre