Artigos, Bispos › 27/07/2022

Cânticos dos Anciãos

Estimados anciãos, queridas vovós e caros vovôs. Desejamos hoje dirigir-nos especialmente a vocês, idosos e idosas, no mês em que celebramos Sant’Ana e São Joaquim, pais de Maria Santíssima e avós de Jesus. Entre os anciãos certamente encontramos muitas pessoas que são ou foram esteios em nossa vida, modelos humanos e de fé cristã, nas famílias e em toda sociedade. Como faz bem ouvir do próprio Papa Francisco que a avó foi marcante testemunha na transmissão da fé cristã, na sua família: “Minha avó Rosa é aquela que deixou em mim uma forte marca humana e religiosa”. O Documento de Aparecida, referindo-se às diferentes gerações, afirma: “Crianças e anciãos constroem o futuro dos povos. As crianças porque levarão adiante a história, os anciãos porque transmitem a experiência e a sabedoria de suas vidas” (DAp 447).

Convidamos todos: crianças, jovens e adultos a estarmos atentos à sabedoria e experiência dos anciãos. Tratemo-los com ternura, gratidão e paciência. Caros vovôs e queridas vovós. No dia da padroeira dos idosos, nós vos saudamos com carinho especial, agradecendo também em nome da Diocese de Santa Cruz do Sul, por tudo que tendes feito pelo desenvolvimento humano e cristão de nossas famílias e da sociedade, pela participação na constituição e crescimento de nossas comunidades eclesiais e, sobretudo, pelo testemunho da perseverança na fé. Obrigado pelos lindos templos que, com sacrifícios exemplares, construístes no passado, qual expressão viva de vossa fé e de vossa caridade. Continuamos, também hoje, contando com vossa fecunda participação no processo da iniciação e perseverança na vida cristã de crianças, jovens e adultos, e queremos escutá-los para enriquecer-nos com vossa sabedoria de vida e experiência comprovada. Ainda hoje, vossa meiga voz comove nossos corações e vossas mãos, talvez calejadas e trêmulas, continuam a tocar-nos carinhosamente para aprendermos que a vida e o amor são o preço mais elevado da experiência humana e da fé. Que o Cântico dos Anciãos, de autor desconhecido, nos ajude a compreender-vos e amar-vos hoje, sem esperar pelo dia em que também nós estejamos atingidos pela idade avançada ou por algum limite ou doença prematura:

Benditos aqueles que me olham com simpatia.
Benditos aqueles que compreendem meu caminhar cansado.
Benditos aqueles que falam com voz alta para minimizar minha surdez.
Benditos aqueles que apertam com calor minhas mãos trêmulas.
Benditos aqueles que dão atenção à minha longínqua juventude.
Benditos aqueles que não se cansam de ouvir meus discursos, já tantas vezes repetidos.
Benditos aqueles que compreendem minha necessidade de afeto.
Benditos aqueles que me regalam fragmentos de seu tempo.
Benditos aqueles que se recordam de minha solidão.
Benditos aqueles que me são próximos no sofrimento.
Benditos aqueles que alegram os últimos dias de minha vida.
Benditos aqueles que estão ao meu lado no momento da passagem.
Quando entrarei na vida sem fim, me recordarei deles, junto ao Senhor.
Amém!” (Tradução de texto italiano).

Caros anciãos, pela intercessão de São Joaquim e Sant’Ana, avós maternos de Jesus, Deus vos conceda boa saúde, perseverança na fé e, terminada esta vida terrena, o gozo da paz eterna, junto com Ele e tantos irmãos e irmãs que nos precederam. Sant’Ana e São Joaquim, rogai pelos idosos e ensinai-nos a amá-los!

Dom Aloísio Alberto Dilli – Bispo de Santa Cruz do Sul