Notícias › 24/08/2021

Catedral de São Pedro completa 266 anos em Rio Grande

Embora em 2021, a Catedral de São Pedro tenha comemorado, em maio, os 50 anos que passou da condição de Matriz para Catedral, se tornando a igreja mãe da Diocese do Rio Grande, sua história completa 266 anos no próximo dia 25 de agosto, referência da fundação no ano de 1755. A data será celebrada com duas missas festivas, às 12h10 e às 16h, seguida de uma Bênção Especial de Aniversário, às 17h. Há um limite presencial de 40 pessoas, mas a festividade será transmitida nas redes sociais da Rádio Tamandaré On-Line e Catedral Pedro.

Para o pároco da Catedral de São Pedro e Vigário Geral da Diocese, Padre Gil Raul Pereira Júnior, a Catedral, além de ser a igreja mãe que, de braços abertos, acolhe e enche de bênçãos todos os riograndinos, tem um acervo histórico e de preciosidades, como manuscritos iluminados, paramentos sacros, cerâmicas, porcelanas e peças doadas pelos imperadores Dom Pedro I e Dom Pedro II, que chegaram a visitá-la mais que uma vez. “São muitos os encantos e graças que ajudam a contar a história de nossa catedral”, destacou o pároco.

Comemorar os seus 266 anos, na opinião de Eliane Ávila, coordenadora das redes sociais da Catedral e vice-coordenadora da Pastoral da Comunicação Diocesana, também significa dedicar um momento de agradecimento, pois “a casa do Senhor está completando mais um ano de existência”. Ela explicou que, ao longo de todos estes anos, vidas foram transformadas e graças recebidas, podendo sentir o amor de Deus agindo em cada um que tem a Catedral em seu coração. “Jesus disse: Pois também eu te digo que tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela (Mt 16,18). E assim está a nossa Catedral, alicerçada em Pedro”, ilustrou Eliane Ávila.

O fato da Catedral de São Pedro estar inserida na história luso-brasileira do Rio Grande do Sul, de um catolicismo presente desde os primórdios, faz que seu aniversário também seja da cidade de Rio Grande, de toda a Diocese, de cada riograndino que por ela passa, de cada paroquiano que se dedicou e se dedica. “O aniversário é de todos que fazem parte desta história. Que possamos juntos comemorar os 266 anos da Catedral de São Pedro com amor, fé e esperança sempre em dias melhores”, convidou a coordenadora.

No Relatório escrito pelo grupo que se mobilizava pela futura Diocese do Rio Grande, está resgatado o fato histórico de que, em 1747, Rio Grande, sendo elevada à categoria de Vila (instalada em 1751), demandou a construção da Matriz de São Pedro, construída em 1755, sendo o templo mais antigo do Estado ainda em funcionamento. Embora tenha sido cogitado, muitas vezes, sua demolição, reforma ou ampliação, esse templo de grande valor histórico e artístico, em estilo barroco tardio, foi protegido e tombado como patrimônio histórico nacional, portanto, verdadeiro berço da Fé nestas regiões e orgulho de todo riograndino.

Por ser considerado um templo importante de veneração que lhe devotam os cristãos, ter uma transcendência histórica e beleza artística de sua arquitetura e decoração, quiçá, algum dia, a Catedral de São Pedro também possa receber do Papa o título canônico de Basílica Menor. Uma graça para a qual os riograndinos podem elevar suas orações.

Com informações da Diocese do Rio Grande