Notícias › 02/03/2022

CNBB lança Campanha da Fraternidade voltada à educação

Em coletiva de imprensa na manhã desta quarta-feira o Regional Sul 3 realizou o lançamento da Campanha da Fraternidade 2022

Este ano a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil dedica a Campanha da Fraternidade à temática da educação e propõe uma reflexão especialmente para os fundamentos do ato de educar, através de um olhar atencioso à realidade educacional de nosso país e da consciência de que somos todos educandos e educadores.

Para marcar o lançamento da Campanha no Estado do Rio Grande do Sul, a CNBB Sul 3 promoveu na manhã desta quarta-feira, 02 de março, uma Coletiva de Imprensa com veículos de comunicação e influenciadores. O momento, realizado em modalidade virtual, foi transmitido pelo Facebook do Regional e contou com a participação de dezenas de pessoas ao vivo.

Participaram da coletiva o presidente da CNBB no Rio Grande do Sul e bispo de Caxias do Sul, dom José Gislon; o arcebispo de Porto Alegre e vice-presidente da CNBB no Brasil, dom Jaime Spengler; e o arcebispo de Santa Maria e presidente da Comissão Episcopal para Educação e Cultura no Rio Grande do Sul, dom Leomar Brustolin. Também estava presente dom Adilson Pedro Busin, secretário da presidência regional e o pe. Anesio Ferla, referencial para as Campanhas da Fraternidade no Regional.

Um olhar para a realidade

A coletiva, coordenada pela Secretária Executiva da CNBB Sul 3, Sandra Zambon, iniciou com a apresentação de dom José Gislon, presidente do Regional Sul 3 da CNBB. Durante a fala, dom José lembrou que desde 1964 a Igreja no Brasil promove a Campanha da Fraternidade como um dos modos de viver a espiritualidade quaresmal.

Através da CF, ao longo de todos esses anos, a Igreja abordou temas que tocavam a realidade da vida de uma grande parcela do povo brasileiro. A Campanha da Fraternidade quer conscientizar e contribuir para uma mudança de vida, aponta.

Dom José Gislon destacou ainda que o objetivo da CF é despertar a solidariedade dos fieis em relação a um problema concreto que envolve a sociedade brasileira, buscando caminhos de solução à luz do Evangelho. Para concluir, o presidente desejou que esta Campanha “fortifique no nosso coração o compromisso com o Evangelho, mas também como Igreja o nosso compromisso de sermos uma realidade renovadora e redentora da nossa sociedade no mundo em que vivemos”.

Ação Concreta

O Arcebispo de Porto Alegre e vice presidente da CNBB, dom Jaime Spengler, seguiu a coletiva apresentando especialmente os gestos concretos que marcam a Campanha da Fraternidade. Um deles, “é a promoção de oportunidades para que todos os envolvidos na causa da educação se sintam instigados a colaborar para o seu aperfeiçoamento.”

O segundo gesto concreto, conforme destacou o arcebispo, é a Coleta da Solidariedade, realizada no Domingo de Ramos em todas as comunidades. “O objetivo é apoiar iniciativas que, orientadas pelo princípio do bem comum, se ocupam com o cuidado e a promoção da vida e da pessoa humana”.

Dom Jaime esclareceu ainda o destino da Coleta e explicou que 40% do valor arrecadado é destinado ao Fundo Nacional de Solidariedade. Em 2021, o Conselho Gestor do Fundo Nacional de Solidariedade (FNS) apoiou 80 projetos. As entidades que se candidataram se comprometeram, entre outros aspectos, a prestar contas periódicas de sua efetivação e resultados.

No Rio Grande do Sul foram contemplados três projetos, sendo dois na diocese de Novo Hamburgo e um na diocese de Osório. O Lar São Vicente de Paulo, em Novo Hamburgo, recebeu cerca de R$ 17 mil que serão aplicados na construção de uma nova cozinha no local, além da compra de alimentos proteicos para os residentes. A instituição atende idosos em situação de vulnerabilidade.

A Associação de Assistência Social Santo Inácio de Loyola, localizada em São Leopoldo, foi beneficiada pelo edital do FNS com recursos de cerca de R$ 19 mil para projetos de geração de renda através da Confeitaria e Panificação. O projeto de Osório, voltado para população indígena, recebeu aproximadamente R$ 33 mil. O trabalho busca o fortalecimento e valorização do Mbyá Rekó Guarani através do combate à insegurança alimentar através da agricultura e fomentando condições de moradia digna para esta população.

Fraternidade e Educação

O tema da Campanha da Fraternidade deste ano foi apresentado de forma detalhada por dom Leomar Brustolin, arcebispo de Santa Maria e presidente da Comissão Episcopal para Educação e Cultura no Rio Grande do Sul.

Durante a fala, o bispo lembrou que a proposta de reflexão da Campanha está organizada nos seguintes passos: discípulos da Palavra, escutar, discernir e agir. Na exposição, dom Leomar pontuou alguns dados da realidade educacional do Brasil, alertando que 1 em cada 10 alunos não pretende voltar à escola no Brasil e que 70% das crianças são incapazes de ler e entender textos. Seguiu, ainda, advertindo sobre os cortes superiores a 700 milhões de reais em educação no orçamento no Brasil em 2022, a falta de alimentação escolar (merenda) e as dificuldades geradas pela pandemia.

Como pista de ação, dom Leomar lembrou o provérbio que diz que “Para educar uma criança é preciso uma aldeia inteira”, destacando que todos precisam cooperar em iniciativas que ajudem a priorizar a educação para um novo modelo de sociedade e de formação humana.

Para assistir a Coletiva completa, clique aqui.

CNBB Sul 3