Notícias › 19/11/2020

Fraternidade e Diálogo: CNBB Sul 3 inicia articulação da CFE 2021

Uma comissão organizada pela CNBB Sul 3 se reuniu na manhã desta quinta-feira, 19, para dar início a articulação da Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2021, que terá como tema “Fraternidade e Diálogo: Compromisso de Amor”, e o lema “Cristo é a nossa Paz: do que era dividido, fez uma unidade”, baseado no livro de Efésios 2.14.

O encontro foi assessorado pelo Pe. Patrick Samuel Batista, secretário executivo de Campanhas da CNBB e acompanhada pela secretária executiva da CNBB, Sandra Zambon, e por Dom Silvio Guterres Dutra, bispo referencial da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Sócio Transformadora do Regional Sul 3. Também participaram da reunião e integram a equipe executiva as coordenações regionais do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs, da Colegiada da Iniciação à Vida Cristã e das Pastorais Sociais.

CFE 2021 – Nossa prática promove o diálogo ou potencializa o ódio?

Durante sua participação, Pe. Patrick apontou que é preciso perceber que “a Campanha da Fraternidade, desde 1964, nada mais é que o amor organizado a serviço da vida plena para todos”. Para apresentar a CFE 2021, ele expôs o objetivo geral e os objetivos específicos, destacando que o tema do próximo ano é, também, uma continuidade da Campanha da Fraternidade de 2020, especialmente na perspectiva do diálogo.

Para possibilitar o aprofundamento do tema e uma abrangência maior em nossas arqui/dioceses, paróquias e comunidades, as Campanhas da Fraternidade oferecem sempre diversos materiais, entre eles o Texto Base. Para a CFE 2021, pela primeira vez o livro será oferecido também em formato de ebook.

Na reunião, padre Patrick apresentou a proposta do Texto Base da CFE 2021, construído através do tradicional método ver, julgar, agir e celebrar. Ele relata que o primeiro passo (ver) está relacionado a uma análise e partilha das impressões dos acontecimentos recentes, que interferem diretamente na vida das pessoas. Já o passo do julgar, na CFE 2021 é iluminado pelos textos de Emaús e Efésios. Na seqüência, o agir partilha algumas boas práticas desenvolvidas pelo CONIC e o celebrar está em sintonia com a nova Encíclica, Fratelli Tutti.

Outro subsídio importante das Campanhas da Fraternidade é o cartaz, que este ano traz como destaque a centralidade da Palavra de Deus através do lema Cristo é a nossa Paz: do que era dividido, fez uma unidade. Além disso, a imagem traz uma ciranda aberta, com a possibilidade de sempre alguém ser incluído na diversidade da celebração da paz.

A articulação no Regional Sul 3

Edoarda Sopelsa Scherer, articuladora da Comissão Regional de Ecumenismo e Diálogo Inter-religioso da CNBB Sul 3, reforça que a Campanha da Fraternidade Ecumênica nos provoca ao diálogo. “Isso nos impõe um exercício concreto do ecumenismo em nossas paróquias, como também o convívio fraterno com as igrejas cristãs e outras expressões de fé, enfim com a sociedade”, comenta Edoarda.

A partir da exposição da CFE 2021, os participantes do encontro apontaram alguns desafios para a vivência da Campanha no Rio Grande do Sul. Entre eles, estão o fortalecimento do diálogo ecumênico e inter-religioso, a construção da paz na diversidade e a necessidade de criar processos que fomentem sempre o diálogo.

Segundo Edoarda, outra provocação importante da CFE 2021 é reconhecer as fragilidades que impedem o exercício da unidade. “Semear a esperança de boas práticas e da convivência com a diversidade torna esta campanha fundamental para nosso tempo e para o nosso povo”, finaliza.

Para dar seqüência na articulação da Campanha da Fraternidade no Estado, o grupo agendou uma nova reunião para o dia 27/11, próxima sexta-feira.