Notícias › 21/10/2021

Coordenação da 6ª SSB realiza Seminário Estadual de avaliação e planejamento

A coordenação da 6ª Semana Social Brasileira no Rio Grande do Sul realizou na manhã desta quinta-feira a 1ª Etapa do Seminário Regional da 6ª SSB. Este primeiro momento olhou especialmente para as ações já realizadas no Estado, em uma proposta de avaliação das atividades promovidas desde 2020.

O relato iniciou por um breve apanhado das ações em cada local, perpassando diversas iniciativas. Entre as mais destacadas pelas arqui/dioceses estão a promoção de cursos de formação com lideranças, clero e agentes; o estudo e divulgação dos subsídios de estudo; os encontros virtuais de mobilização e articulação e a produção de lives formativas sobre o tema da Semana – Mutirão pela Vida: Por Terra, Teto e Trabalho.

Esses diversos espaços de diálogo e formação proporcionaram nas realidades um olhar ainda mais atento aos necessitados, com destaque para a organização de um grande mutirão contra a fome, através de inúmeras campanhas. Em muitos lugares, também aconteceram ações de cuidado com a vida dos indígenas, migrantes, população de rua e outros povos em vulnerabilidade social. Confira o relatório completo clicando aqui.

A nível regional também foram intensificadas as articulações das pastorais sociais e dos movimentos sociais, a realização de encontros por Províncias Eclesiásticas, a constituição de uma coordenação regional da 6ª SSB e a organização de grupos de trabalho. Além disso, diversas lives discutiram o tema e os eixos transversais da 6ª SSB: Terra, Teto, Trabalho, Economia, Soberania, Democracia. Outra iniciativa importante foi a promoção da Semana de Ativismo – Mutirão pela Vida de quem tem Fome, de 25 de maio a 03 de junho.

Roseli Pereira Dias, da Cáritas Regional do Rio Grande do Sul, integra a coordenação da 6ª Semana Social no Estado. Para ela, “a caminhada de organização e realização da Semana no território gaúcho só foi possível pelo engajamento de diferentes parceiros entre pastorais sociais e organismos da CNBB e movimentos sociais, que têm à sua frente, Dom Silvio Guterres Dutra, bispo referencial da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Socio Transformadora da CNBB SUL3.

Foi uma trajetória construída em meio às incertezas provocadas pelo contexto da pandemia, bem como pela avalanche de demandas emergenciais, principalmente a fome. Construímos uma caminhada que chegou a praticamente todas as dioceses do estado. Com diferentes níveis de organização foram realizadas inúmeras atividades estaduais e locais que levaram os temas centrais da 6ª SSB para o diálogo, para a reflexão com outras pessoas, outros segmentos sociais, explica Roseli.

Ela aponta ainda que este processo de avaliação é fundamental para identificar acertos, limites e desafios em relação ao processo, mas também identificar pistas que devem iluminar a 6ª Semana Social para frente.

O Seminário Regional da 6ª Semana Social Brasileira continua na tarde do dia 28 de outubro, com a etapa de planejamento.

Victória Holzbach |CNBB Sul 3