Notícias › 14/06/2022

Corpus Christi: Um olhar de solidariedade aos mais necessitados

A celebração do Corpo de Cristo, na próxima quinta-feira, 16, tem uma motivação especial no Regional Sul 3: o cuidado com aqueles que mais precisam. A articulação das Pastorais Sociais e da 6ª Semana Social Brasileira no Estado, em nome da CNBB Sul 3, promovem mais uma edição do Mutirão pela vida de quem tem fome.

A motivação é para que sejam intensificadas as já tradicionais ações de solidariedade na festa de Corpus Christi. A sugestão da 6ª SSB no Rio Grande do Sul é que cada arqui/diocese identifique a melhor proposta de ação para a sua realidade, mas que não deixe de pensar naqueles que mais precisam. O importante é que em cada lugar sejam promovidas iniciativas de solidariedade e compromisso como os mais necessitados, fortalecendo as redes de solidariedade já existentes para a entrega e distribuição dos alimentos, roupas e produtos arrecadados.

O Pe. Edson Thomassin, da coordenação das Pastorais Sociais e da 6ª SSB no Estado, ressalta que, assim como Jesus no deserto, ouvindo a preocupação dos discípulos com a multidão faminta, nós também somos desafiados a acolher a sua exortação: Deu-lhes vós mesmos de comer. “O Mutirão pela Vida de quem tem fome é um convite para fazermos a nossa parte e encontrar os sinais dos ‘pães e peixes’ que as pessoas de boa vontade podem ofertar no altar da vida de tantas famílias necessitadas”, destaca.

Para animar a articulação, o grupo também retoma a música gravada em 2021, Pão em Todas as Mesas, composta pelo grupo Unamérica.

Carta Motivadora

Para ajudar na animação do Mutirão pela vida de quem tem fome a Comissão escreveu uma carta. O documento aponta que, embora a Pandemia não tenha acabado, mas com seu impacto letal menor, a fome não parou de marcar a realidade. O custo da cesta básica continua alto e crescendo. Além disso, também é notório o enfraquecimento da solidariedade. São diversos depoimentos de Igrejas, comunidades e organizações que estão passando por dificuldades para conseguir ampliar a solidariedade frente a fome. Também as iniciativas governamentais diminuíram.

“Façamos campanhas, coletas, mobilizemos atividades de solidariedade, almoços comunitários, além de atividades de sensibilização e de conscientização sobre o direito à alimentação e à defesa de políticas de Segurança alimentar e nutricional. Realizando sua atividade de Solidariedade, divulgue nas redes sociais e nos comunique o feito e quanto de alimento foi adquirido”, motiva a carta.

Confira na íntegra:

Festa de Corpus Christi, nos aproxima dos corpos famintos de nossos irmãos e nossas irmãs

Estamos à véspera da Festa de Corpus Christi, a ser celebrada no dia 16 de junho de 2022. Uma celebração linda e marcada pela grande devoção e amor ao Santíssimo Sacramento do Altar. Mas, como já é histórico, também mobiliza muitas pessoas para gestos de caridade e solidariedade, com doações de roupas, cobertores e alimentos.

No ano passado a articulação Estadual da 6ª Semana Social Brasileira e a Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Sócio transformadora do Regional Sul 3 da CNBB promoveram, com o engajamento de todo episcopado do Estado e diversos setores da sociedade, o Mutirão pela Vida de quem tem fome. E vimos a beleza da solidariedade acontecer na Igreja, nas dioceses, paróquias, comunidades, escolas e entidades.

Podemos dizer que, na experiência do ano passado, a solidariedade foi o amor ao Cristo Eucarístico encarnado na vida da Igreja e de tantas irmãs e irmãos. Em meio a tantas dores da realidade da Pandemia e da fome, Cristo sorriu pelo amor concreto, vivido e testemunhado.

Este ano, 2022, embora a Pandemia não tenha acabado, mas com seu impacto letal menor, a fome não parou de marcar a realidade. O custo da cesta básica continua alto e crescendo. Além disso, também é notório o enfraquecimento da solidariedade. São diversos depoimentos de Igrejas, comunidades e organizações que estão passando por dificuldades para conseguir ampliar a solidariedade frente a fome. Também as iniciativas governamentais diminuíram.

Dizem os Bispos, em sua Mensagem ao Povo Brasileiro do dia 29/04/2022: O quadro atual é gravíssimo. O Brasil não vai bem! A fome e a insegurança alimentar são um escândalo para o País, segundo maior exportador de alimentos no mundo, já castigado pela alta taxa de desemprego e informalidade.

Esta realidade denunciada por nossos bispos e sentida concretamente em nossas organizações eclesiais e sociais nos convocam o compromisso de solidariedade em favor das famílias carentes, no campo e na cidade, além de tantas pessoas em situação de rua e das realidade das comunidades indígenas e quilombolas carentes de solidariedade.

Por isso, como pastorais sociais e organismos ligados à Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Sócio Transformadora da CNBB – Regional Sul 3, em comunhão com a Articulação da 6ªSSB no RS, convidamos às Dioceses, Paroquias e organizações eclesiais e sociais, e as pessoas sensíveis à realidade da fome a continuarem com o MUTIRÃO PELA VIDA DE QUEM TEM FOME.

Façamos campanhas, coletas, mobilizemos atividades de solidariedade, almoços comunitários, além de atividades de sensibilização e de conscientização sobre o direito à alimentação e à defesa de políticas de Segurança alimentar e nutricional. Realizando sua atividade de Solidariedade, divulgue nas redes sociais e nos comunique o feito e quanto de alimento foi adquirido.

De que serviria, afinal, adornar a mesa de Cristo com vasos de ouro, se ele morre de fome na pessoa do pobre? Primeira dá de comer a quem tem fome, e depois ornamente a sua mesa com o que sobra. Queres oferecer-lhe um cálice de ouro e não és capaz de lhe dar um copo de água? De que serviria cobrir o seu altar com toalhas bordadas a ouro, se lhe recusas a roupa de que precisa para se vestir? 

SÃO JOÃO CRISÓSTOMO, Homilias sobre Mateus 50, 3-4

 Articulação da 6º SSSB e Pastorais Sociais – RS

CNBB Sul 3