Artigos, Bispos › 16/03/2019

Cuidado com as tentações

Como reagir diante de tantas tentações que nos cercam no dia a dia? Tempo de quaresma, tempo oportuno para ajustar nossa vida com a vida em Deus e com os irmãos. Apresento esse tema, dentro do período quaresmal, como proposta de uma revisão de vida a caminho da Ressurreição.  Como iluminação vou usar a passagem do Evangelho de Lucas 4, 1-13. Vejamos como Jesus reagiu diante das tentações do demônio:

“Naquele tempo, Jesus, cheio do Espírito Santo, voltou do Jordão, e, no deserto, ele era guiado pelo Espírito. Ali foi tentado pelo diabo durante quarenta dias. Não comeu nada naqueles dias e, depois disso, sentiu fome. O diabo disse, então, a Jesus: “Se és Filho de Deus, manda que esta pedra se mude em pão”.Jesus respondeu: “A Escritura diz: ‘Não só de pão vive o homem’”.O diabo levou Jesus para o alto, mostrou-lhe por um instante todos os reinos do mundo e lhe disse: “Eu te darei todo este poder e toda a sua glória, porque tudo isso foi entregue a mim e posso dá-lo a quem eu quiser. Portanto, se te prostrares diante de mim em adoração, tudo isso será teu”. Jesus respondeu: “A Escritura diz: ‘Adorarás o Senhor teu Deus, e só a ele servirás’”.Depois o diabo levou Jesus a Jerusalém, colocou-o sobre a parte mais alta do Templo, e lhe disse: “Se és Filho de Deus, atira-te daqui abaixo! Porque a Escritura diz: ‘Deus ordenará aos seus anjos a teu respeito, que te guardem com cuidado! ’ E mais ainda: ‘Eles te levarão nas mãos, para que não tropeces em alguma pedra ’”. Jesus, porém, respondeu: “A Escritura diz: ‘Não tentarás o Senhor teu Deus’”. Terminada toda a tentação, o diabo afastou-se de Jesus, para retornar no tempo oportuno”.

As tentações são um mistério na vida de todos os que procuram andar pelo caminho do bem. Sempre aparece alguma facilidade, no intuito de nos desviar dos objetivos. O tentador sabe como usar nossas fraquezas e debilidades para, justamente, propor compensações que nos afastam de Deus. Jesus, no entanto, nos mostra como vencer ao tentador, ancorados na Palavra de Deus, com oração e jejum. Não existe um modo ou recurso para não ser tentado, mas sim como vencer as tentações. Na verdade, é inútil pedir para não tê-las, o que temos que pedir é: “não nos deixeis cair em tentação”. Importante tomarmos consciência disso, pois o Espírito Santo nos conduz até o deserto porque o deserto é necessário. O deserto é o lugar do encontro consigo mesmo, lugar do esvaziamento. É o lugar onde nos enchemos e nos preenchemos pela graça de Deus.

Pensando no momento atual, quais são as tentações que nos cercam? O que nos desvia do caminho do bem, da justiça e da fraternidade? Vamos aproveitar esse tempo quaresmal para ir ao deserto do nosso coração, lugar sagrado e afetuoso, preparado para fortalecer nossa fé, esperança e caridade.

Amparado no lema da Campanha da Fraternidade, finalizo com as palavras do profeta Isaías: “serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is 127).  Paz e Bem!

Dom Frei Cleonir Paulo Dalbosco –  Bispo de Bagé