Artigos, Bispos › 15/10/2020

Dia Mundial das Missões

Foi o Papa Bento XV que, em 1918, instituiu o mês missionário e o terceiro domingo de outubro como o Dia mundial das Missões. Na verdade a Igreja é missionária desde os tempos apostólicos, mas um trabalho sistemático, consciente, ininterrupto e bem organizado acontece nestes últimos cem anos.

Hoje a Igreja colhe os frutos desta organização. Enquanto na velha Europa, o catolicismo diminui, por muitas causas, no mundo inteiro o número de católicos está em franca ascensão. Nós temos cada ano mais dioceses, mais paróquias e mais católicos, graças ao trabalho missionário. Hoje, a presença da Igreja Católica na África, especialmente em alguns países é a grande esperança de vocações para o mundo inteiro. E na Ásia, em países como a Índia, o Paquistão, o Vietnam e Filipinas, a Igreja aumenta suas estatísticas, graças aos batizados de adultos e as muitas ordenações sacerdotais.

Por isso a “jornada missionária mundial” que acontece no dia das missões é fundamental. Com a coleta que se faz neste final de semana, no mundo inteiro, a Igreja consegue apoiar este esforço, nos países mais pobres do mundo, como na África e na Ásia. Papa Francisco investe muito nestas áreas mais marginalizadas, nomeando bispos e cardeais, nestas regiões, e apoiando as jovens Igrejas, com missionários, recursos e tecnologias.

Ele faz aquilo que está no Evangelho domingo: “Mestre, sabemos que tu és verdadeiro e que, de fato, ensinas o caminho de Deus. Não te deixas influenciar pela opinião dos outros, pois não julgas um homem pelas aparências” (Mt 2a2,16).

Esta mesma orientação já vinha sendo adotada pelo povo de Israel, desde o Antigo Testamento. O texto de Isaías, neste domingo, não deixa dúvidas: “Eu sou o Senhor, não existe outro: fora de mim não há deus. Armei-te guerreiro, sem me reconheceres, para que todos saibam, do oriente ao ocidente, que fora de mim outro não existe. Eu sou o Senhor e não há outro” (Is 45, 5-6).

Nós queremos ser missionários onde vivemos, ter o coração aberto para as missões no mundo e celebrar o Dia mundial das Missões, com a disposição missionária para a qual somos convocados e desafiados depois desta pandemia que, aos poucos, vai sendo superada, graças a Deus!

Dom Zeno Hastenteufel – Bispo Diocesano de Novo Hamburgo