Notícias › 10/02/2021

Diocese de Cruz Alta determina 5% do dízimo para a caridade

O que era uma orientação diocesana a respeito da destinação de valores do dízimo para a realização de ações de caridade voltadas para as comunidades paroquiais, passa a ser norma, constando nas Diretrizes da ação evangelizadora e administrativa da Diocese de Cruz Alta.  Embora o trabalho social na igreja já seja uma realidade, especialmente através de suas pastorais e organizações sociais, a ideia é que esta determinação passe a ser um plus na realização das ações sociais, como forma de retorno para a comunidade, em suas principais necessidades.

A determinação, que está no art. 77 das Diretrizes, passa a valer a partir do dia 01 de maio de 2021. Porém, para iniciar o processo de organização, a Equipe Diocesana de Pastoral Social esteve reunida na tarde de quarta-feira, 03 de fevereiro, onde se pensou formas de auxiliar e orientar as equipes e lideranças paroquiais que atuarão neste trabalho.

O Bispo Diocesano, Dom Adelar Baruffi explica que o projeto consiste na destinação de 5% do que é recebido de dízimo na paróquia, com a contribuição de cada um, e, também, os 5% que é destinado à diocese, para o serviço da caridade. “Sabemos que em cada comunidade, em cada paróquia já existem as organizações sociais que ajudam aos pobres, aos que mais precisam, que vão ao encontro das pessoas através de diferentes pastorais. Porém, entendemos que não pode faltar a dimensão que é própria daquele que contribui com o dízimo, com esta finalidade também. O dízimo não é só para construção, formação ou ajuda na paróquia, mas é, também, para o auxílio e solidariedade com os nossos pobres”, destaca Dom Adelar.

Conforme a Coordenadora Diocesana das Pastorais Sociais e Cáritas, Cinara Dorneles, esta norma vai funcionar no âmbito da comunidade, paroquial e diocesano. Cada paróquia vai buscar em suas comunidades quais as principais dificuldades, necessidades e a partir deste levantamento, saberá onde atuar mais fortemente. Segundo Cinara, o primeiro passo já foi dado, agora, é importante que as paróquias indiquem uma liderança, que será responsável por mobilizar e movimentar estas ações, reunindo outras pessoas para este trabalho. “Aqui na Diocese estaremos auxiliando nas dúvidas, nas dificuldades, enfim, no que for preciso. Também estamos aprendendo, é uma novidade, mas estamos nos preparando para poder ajudar”, adianta.

Conforme texto do art. 77 das Diretrizes diocesanas: “Do montante do dízimo, deve ser destinado mensalmente no orçamento pelo menos 5% para a caridade”. Este percentual destinado é aplicado sobre o percentual da comunidade, da paróquia e da diocese a ser administrado pela Pastoral Social, o pároco e o Conselho Paroquial de Pastoral.

“A própria beleza do Evangelho nem sempre a conseguimos manifestar adequadamente, mas há um sinal que nunca deve faltar: a opção pelos últimos, por aqueles que a sociedade descarta e lança fora” (EG 195).

Com informações da Diocese de Cruz Alta