Notícias › 28/08/2018

Rio Grande: Catedral São Pedro da Diocese celebrou 263 anos

Diocese de Rio Grande – A Catedral de São Pedro, da Diocese de Rio Grande, comemorou, no dia 25, seus 263 anos, com abraço ao prédio histórico e distribuição de bolo e refrigerantes para a comunidade e os trabalhadores informais do Calçadão. O Bispo de Rio Grande, Dom Ricardo Hoepers, falou sobre o sentido da festa: “a Catedral é o refúgio dos rio-grandinos, o lugar mais importante, tanto sob o aspecto religioso como histórico”. Ele agradeceu a contribuição de todos que passaram pela Catedral e fundamentou a importância do templo para o Cone Sul. “Queremos agradecer a Deus por este momento tão importante, em que a nossa Catedral completa 263 anos. Ela é o prédio praticamente mais antigo desde Laguna, em Santa Catarina, até Montevidéu, no Uruguai. Então, em todo esse Cone Sul, é o templo ainda de pé de um valor inestimável para a cultura rio-grandina, para o Rio Grande do Sul e para todo o Brasil. Este trata-se de um momento muito especial, em que o povo se reúne para dar o abraço na Catedral, já uma tradição antiga, mas, acima de tudo, porque a nossa Catedral é o lugar sagrado de oração. É o lugar onde as pessoas entram todos os dias, as portas estão abertas. A pessoas entram para orar, para pedir a Deus, para se sentir bem e se sentir em paz. Eu diria que é o verdadeiro santuário, é um lugar seguro, é um porto seguro do nosso povo rio-grandino. Celebrar a Catedral de São Pedro e cantar os parabéns de 263 anos é um privilégio para poucos e nós temos essa graça aqui no Rio Grande”, concluiu Dom Ricardo.

O padre Raphael Pinto, que acabou de chegar de Boston (EUA), onde concluiu Doutorado em Teologia, encarregou-se da animação, convidando a todos que passaram para a festa. Apesar do frio, foi uma tarde de muito calor humano.

História

O prédio da atual Catedral de São Pedro foi construído em 1755, sendo o mais antigo do Estado ainda em funcionamento. A princípio a paróquia pertencia a paróquia de São Sebastião do Rio de Janeiro, passando a pertencer, em 7 de maio de 1848, à recém-criada Diocese de São Pedro do Rio Grande do Sul de Porto Alegre e, em 15 de agosto de 1910, a Diocese de Pelotas. Em 1971, com a instalação da Diocese de Rio Grande, a Matriz é elevada a condição de Catedral de Dom Frederico Didonet, designado seu primeiro bispo.

(Fotos: Comunicação Diocese de Rio Grande)