Artigos, Bispos › 28/05/2020

Domingo de Pentecostes

Celebramos neste Domingo a Solenidade de Pentecostes. 50 dias depois da Páscoa. De junto do Pai, Jesus nos envia o Espírito Santo, grande dom para a Igreja, para os cristãos e para o mundo.

O Espírito Santo, depois do Batismo, vive em nós como num templo. Podemos adorá-lo e falar-lhe em cada momento, pedindo humildemente a sua ajuda divina.

Como cristãos, somos chamados a viver a vida no Espírito Santo. São Paulo, falando no Areópago de Atenas ensinava sobre aquele Deus no qual vivemos, nos movemos e existimos. Estas palavras inspiradas ajudam-nos a compreender um pouco a inabitação do Espírito Santo e a sua relação com cada um de nós. Vivemos imersos neste mar infinito de Amor que nos banha, nos conforta e enche de vigor. Deixemos que Ele nos inspire, nos guie e nos anime nos caminhos da santidade pessoal.

Ele inspira-nos continuamente. Não podemos ter um bom pensamento ou bom desejo sem a ajuda do Espírito Santo. Quantas vezes somos surpreendidos por um desejo inesperado de maior fidelidade ao Senhor, de corrigir isto ou aquilo! E não nos damos conta de que é o Espírito Santo quem nos está a iluminar e a aquecer no Amor ao Pai.

O Espírito Santo move-nos com suavidade para o bem. Apesar de termos ficado com inclinações doentias para o mal, para o pecado, também sentimos em nós, com frequência, um desejo indefinido de amar mais ao Senhor, de vivermos com maior fidelidade a nossa vocação, correspondendo ao Amor de Deus. Ele faz isto com tal discrição, que nos parece ser uma inspiração que nasceu de nós mesmos. Também, o Espírito Santo enche-nos de consolação. O Espírito Santo enche-nos de gozo sobrenatural quando nos deixamos guiar por Ele, fazendo a vontade de Deus.

Falando sobre o Espírito Santo aos Apóstolos, no Cenáculo, Jesus diz que o Espírito Santo é o Paráclito — Advogado das nossas causas — o Consolador, aquele que nos conduzirá à Verdade total, que colocará delicadamente em nossos lábios as palavras necessárias quando formos interpelados sobre a razão da nossa Esperança.

Como cristãos, nossa vida se realiza em Missão com o Espírito Santo. “Dito isto, soprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo: àqueles a quem perdoardes os pecados ser-lhes-ão perdoados; e àqueles a quem os retiverdes ser-lhes-ão retidos.”. Deus chama-nos a anunciar a todas as pessoas o seu perdão, a alegria do Evangelho, a bondade infinita de Deus que veio ao mundo para nos salvar.

Proclamamo-lo com a nossa vida. Embora com muitas deficiências, e com as dificuldades de todos os outros, a nossa vida há de ser uma proclamação solene da misericórdia de Deus. À imitação de Jesus Cristo, também nós não estamos no mundo para julgar e condenar as outras pessoas, mas para levá-las ao encontro do Mestre.

Não podemos guardar só para nós este tesouro da alegria do Evangelho. Vivamos este dia de Pentecostes cheios desta alegria e dispostos a transmiti-la a todos os que nos rodeiam.

Dom Antônio Carlos Rossi Keller – Bispo de Frederico Westphalen