Artigos, Bispos › 14/12/2021

E a Palavra habitou entre nós – 03

Já próximos do Natal, continuamos a apresentar o recente documento da CNBB que fala sobre este mistério do nascimento de Deus entre nós, com o título: “E a Palavra habitou entre nós”, destacando a importância da animação bíblica de toda pastoral.

O momento mais privilegiado da presença de Cristo acontece na liturgia: “As Divinas Escrituras sempre foram veneradas como o próprio Corpo do Senhor pela Igreja… Distribui aos fiéis o pão da vida, tanto da mesa da Palavra de Deus quanto da mesa do Corpo de Cristo” (DV 21). Esta importância dada à Palavra ainda não atingiu seu ideal, não obstante todos os esforços e iniciativas.

O documento Verbum Domini recomenda que todas as ações litúrgicas favoreçam uma crescente familiaridade com a Palavra de Deus. Deve-se evidenciar a unidade que formam Palavra e Sacramento no ministério da Igreja. Também as diversas maneiras da celebração da Palavra são consideradas forma privilegiada de encontro com o Senhor (cf. VD 65), dando-lhe um caráter de sacramentalidade. A homilia também faça parte da ação litúrgica e seja inspirada nos textos sagrados; leve à compreensão do mistério que é celebrado e sua relação com a vida pessoal e comunitária dos fiéis e sua missão que consiste em anunciar e testemunhar a beleza de ter encontrado Jesus Cristo.

Há uma íntima ligação entre Iniciação à Vida Cristã e Palavra de Deus. Bíblia, Catequese e Liturgia andam de mãos dadas. A Iniciação cristã supõe um encontro pessoal e comunitário com Jesus, proporcionado de forma privilegiada pela celebração da Palavra de Deus. Um modo orante a partir da Palavra de Deus, muito seguido na vida da Igreja, através dos séculos, é a Lectio Divina. Ela propõe quatro passos, guiados pela luz do Espírito: 1. Leitura: – O que diz o texto em si? 2. Meditação: – O que me/nos diz o texto? 3. Oração: – O que dizemos ao Senhor, a partir do texto? 4. Contemplação: – Qual é a conversão que o Senhor nos pede, a partir do texto?.

A Palavra de Deus se destina à vida e a vida encontra seu significado na Palavra. Um método consagrado na Igreja do Brasil é o dos três verbos: Ver – Julgar – Agir. 1. Ver (contemplar) a realidade; 2. Julgar: buscar na Palavra de Deus a iluminação para julgar (avaliar, discernir) a realidade; 3. Agir: agir (propor) trilhando os caminhos necessários para transformar essa mesma realidade. O Papa Francisco usa esse método seguidamente

A religiosidade popular é uma espiritualidade encarnada na cultura dos simples e que reflete uma sede de Deus que somente os pobres e simples podem conhecer. É preciso purificá-la e orientá-la, fundamentando-a pela Palavra de Deus. Outros lugares privilegiados para frutificar a Palavra encontramos na família, nas juventudes, nos meios de comunicação, na formação inicial e permanente dos presbíteros, no diálogo ecumênico e inter-religioso. Acolher a Palavra de Deus é promover a paz, construir pontes e derrubar muros, viver a misericórdia e alimentar a esperança.

A implantação da Animação Bíblica da Pastoral não consiste em fazer campanhas, mas em estabelecer um conjunto de ações que ajudem para que a Sagrada Escritura se torne mais presente na vida da Igreja. É um processo que amadurece a presença constante da Palavra de Deus na vida da comunidade: “O que se vive em comunidade é iluminado pela Palavra de Deus. O que se lê na Palavra de Deus é concretizado na vida da comunidade”.

Neste Natal, a Palavra de Deus possa fazer-se carne e habitar entre nós.

Dom Aloísio Alberto Dilli – Bispo de Santa Cruz do Sul