Artigos, Bispos › 06/05/2020

Eu sou o caminho, a verdade e a vida

Se no domingo passado Jesus se apresentava como bom pastor que dá a vida pelas ovelhas e como porta de salvação para os que creem nele e o seguem, hoje, nos fala de si como “o caminho, a verdade e a vida”.

O contexto é de despedida e o Mestre vai dizendo aos apóstolos: “Não se perturbe o vosso coração… Tenham fé, acreditem no que estou dizendo. Na casa de meu Pai há muitas moradas… Eu mesmo vou para lá preparar um espaço para vocês. Depois, quando eu voltar, vos levarei comigo, a fim de que participem desse espaço”. Que espaço será esse? A glória celeste, onde habita e a vida plena, a felicidade eterna.

Ao se apresentar como “O caminho, a verdade e a vida” fica claro que Jesus não é um mestre que ensina fórmulas, mas como um modo de ser e de agir, acolhendo os necessitados e sendo misericordioso com os sofredores. Seu caminho é o caminho até a cruz da doação total, o caminho que chega à ressurreição e ao próprio Pai.

Tomé aparece sempre como aquele que precisa de uma explicação a mais: “Senhor não sabemos para onde vais. Como podemos conhecer o caminho?” Jesus respondeu taxativamente: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Para chagar ao Pai, só por mim”.  Portanto, Jesus Cristo é o grande mediador para chegar a Deus Pai e à vida plena.

À objeção de Felipe “mostra-nos o Pai e isso nos basta”. esclarece: “Filipe! Há tanto tempo estou convosco, e não me conheces?” E segue: “quem me viu, viu o Pai… Pois eu estou no Pai e o Pai está em mim. Acreditem! Digo mais, quem acreditar vai fazer o que eu faço, e fará até coisas maiores. Quanto a mim, eu vou para o Pai”.

Parece dizer: eu estou indo para lá, querem vir comigo? Sim, mas qual é o jeito? “sigam-me!”.  Seguir Jesus, o crucificado-ressuscitado, viver como ele viveu, praticar o que ensinou é a essência do ser cristão e o caminho da salvação.

Lembremos aquela bela definição de Aparecida: “Conhecer a Jesus é o melhor presente que qualquer pessoa possa receber; tê-lo encontrado foi o melhor que ocorreu em nossas vidas; e fazê-lo conhecido com nossa palavra e obras é nossa alegria”.

Não podemos esconder esse tesouro pensando somente em nós. Saímos pelas ruas e cidades distribuindo com largueza esse precioso presente: “Jesus, caminho, verdade e vida”.

Façamos isso com aquela alegria estampada no rosto, que brota do coração que encontrou Jesus.

Para refletir:

Estou num processo de crescimento no conhecimento de Jesus? Como manifesto minha amizade com Ele? Consigo ter um relacionamento de coração para coração? Posso dizer que Jesus é a razão da minha vida? O que significa para eu acreditar que Jesus é o caminho, a verdade e a vida?

Textos Bíblicos: At 6, 1-7; 1Pd 2, 4-9; Jo 14, 1-12; Sl 32(33).

Dom Jaime Pedro Kohl – Bispo Diocesano de Osório