FALECIMENTO › 20/03/2019

Falece Religiosa que trabalhou no Seminário de Fátima e Colégio São José

Com 88 anos de vida, 66 dos quais de vida religiosa na Congregação das Irmãs Franciscanas de Maria Auxiliadora, faleceu, nesta segunda-feira, 18, em Passo Fundo, a Ir. Alena Trentin, que trabalhou 3 anos no  Seminário de Fátima e um no  Colégio  Franciscano São Jose. A causa da morte foram problemas renais e pulmonares.

Era natural de Severiano de Almeida, onde nasceu no dia 07 de fevereiro de 1931. Filha dos agricultores Domingos Trentin e Amábile Prezzi Trentin, recebeu o nome de Honilde e na Congregação de Alena. Mais tarde, sua família se mudou para Campinas do Sul. No dia de sua primeira comunhão, ainda em Severiano de Almeida, percebeu o chamado vocacional vendo as irmãs que lá residiam e trabalhavam. Amadureceu sua resposta a Deus pelo ambiente de sua família profundamente cristã, da leitura de revistas cristãs, do clima vocacional que havia em casa e na comunidade e da oração que faziam diariamente pelas vocações.

A família Trentin deu três filhas à Congregação: Irmãs Gisela (in memoriam), Irmã Italina, e Irmã Alena.

Aos 17 anos ingressou na casa de formação em Três Arroios, prosseguindo os estudos básicos e fez seu Postulantado em 1951. Um ano depois, vestiu o hábito religioso, recebendo o nome de Alena. Concluído o noviciado, em janeiro de 1953 emitiu os primeiros Votos e os definitivos no dia 6 de janeiro de 1957, em Três Arroios.

Irmã Alena foi sempre sensível às necessidades das pessoas, fiel nas pequenas e grandes coisas, simples, descomplicada, de boa convivência, de profunda fé e oração. Era generosa e dedicada no serviço de recepção e acolhida às pessoas, em especial nos anos que colaborou na sede provincial. Discreta e silenciosa, soube viver com o pouco e ser feliz e, ao mesmo tempo, soube dar muito de si mesma e fazer os outros felizes.

Tinha o dom das artes manuais, aprimorando-se através dos cursos de corte e costura, bordado à mão e à máquina, tricô e técnicas domésticas. Costurou e teceu muito para as irmãs e para os pobres. Também confeccionou e bordou muitas túnicas, estolas, toalhas e panos sagrados para o altar de igrejas e cuidou com carinho dos espaços sagrados.

Irmã Alena participou de cursos bíblicos, de catequese e pastoral da saúde, preparando-se e aprimorando-se sempre, para ser uma boa ministra extraordinária da Comunhão Eucarística, missão que exerceu com muito carinho nas fraternidades por onde passou, nas paróquias, visitando as famílias e levando a Comunhão aos doentes. Esta foi sua grande universidade: o amor à Eucaristia e a caridade para com as pessoas.

Debilitada em sua saúde física e mental, nos últimos seis anos recebeu cuidados especiais na fraternidade Betânia, em Passo Fundo, junto à Sede Provincial da Congregação.

Devota de São José, faleceu na véspera da solenidade dele. Certamente está com ele, com N. Sra. e Santa Maria Bernarda, a fundadora da Congregação.

Seu corpo foi sepultado no Memorial da Paz, em Passo Fundo.