Artigos, Bispos › 23/04/2019

Maio: Mês de Maria, das Mães e dos Filhos

Num certo lugar, uma menina, logo após a aula, dirigiu-se com rapidez até a igreja. Levava consigo uma flor. Entrou e colocou a flor aos pés da imagem de Nossa Senhora.

Depois, de longe, admirava, rezava e olhava. Alguém que vira a cena, perguntou:

        – “Menina, por que você fez isto?”

A menina respondeu:

 – “É que estão exigindo roupa bonita para a coroação de Nossa Senhora e eu não tenho. Então vim antes prestar minha homenagem a ela com minha roupa pobre.”( cf. J. B. Nascimento; Mensagens de fé e vida; 2017, p. 36 ).

Na imagem sobre o altar, a Virgem, Mãe de Jesus, parecia sorrir, agradecida e carinhosa.

Maio é o mês dedicado à Maria de Nazaré, às Mães e também aos filhos. Como filhos e filhas olhamos para Maria com a finalidade de expressar nosso amor a ela e não errar o caminho para o céu. Maria nos ensina o segredo da caminhada com a humildade, pobreza, confiança em Deus e olhos fitos no céu como Maria viveu.

As pedras, os espinhos, as incertezas do caminho poderão abalar a nossa fé e nos desviar da meta final que é Deus.

Como peregrinos, caminhamos mesmo na dor, no cansaço, nas incertezas, como o fez Maria, a Mãe de Deus, desde a apresentação do Filho no Templo, até a morte dele no alto do Calvário.

Maria é um exemplo e nos ensina a viver, a lutar, a sofrer, a perseverar, mas sempre no amor, no silêncio, no serviço e no caminho do céu. É um sinal de esperança e um sinal de que após o Calvário, e a morte, vem a ressurreição e a vida eterna. A vida humana não finaliza no túmulo, mas na futura ressurreição. Porém, é necessário ter os olhos fitos e seguirmos Jesus Cristo, nosso único Salvador e Mestre.

Feliz a Comunidade e felizes os filhos que caminham sob a proteção, o sinal, o exemplo e as bênçãos de Maria, a Mãe de Jesus e nossa querida mãe. Ela jamais nos esquece e nos deixa de amar e esperar.

+ Hélio Adelar Rubert – Arcebispo de Santa Maria