Artigos, Bispos › 07/05/2020

Minha profissão de fé maior

Experimentamos nesse tempo do novo coronavírus, de maneira palpável, a nossa insegurança em nós mesmos, nas “forças” de nossos caminhos da ciência e da técnica. Podemos e devemos fazer a nossa profissão de fé nesses caminhos científicos e técnicos grandiosos e necessários. Mesmo assim, eles não são absolutos! Então, temos uma profissão de fé maior?

Ouso hoje, publicamente, fazer minha profissão de fé maior. Encontro nas palavras do Santo Padre, Ambrósio de Milão (340-397), as palavras de minha fé MAIOR, embora pequeníssima em relação ao autor milanês.

Sim eu creio que: “’Omnia Christus est nobis!’ – ‘Cristo é tudo para nós!’ Se queres curar uma ferida, Ele é o médico; se ardes de febre, Ele é a fonte; se estás oprimido pela iniquidade, Ele é a justiça; se precisas de ajuda, Ele é a força; se temes a morte, Ele é a vida; se desejas o céu, Ele é o caminho; se estás nas trevas, Ele é a luz. Saboreai e vede como o Senhor é bom: Bem-aventurado é o homem que Nele põe a sua esperança” (A Virgindade 16,99).

Se queres curar uma ferida…Oh!, como quero ajudar a curar a ferida dos irmãos infectados pelo coronavírus, a ferida das suas famílias, a ferida dos mais pobres! Por isso professo: Jesus, Tu és o médico maior!

Se ardes de febre…Oh!, como meu coração de Pastor está ardendo de febre por estar longe das ovelhas (sou também obediente a recomendação médica do isolamento)! Por isso professo: Jesus, Tu és a fonte eterna!

Se estás oprimido pela iniquidade…Oh!, como sofro por tantas situações iníquas e injustas; como persistem nesse tempo de coronavírus paixões e lutas de poder, de agrados, de interesses! Por isso professo: Jesus, Tu és a justiça garantida!

Se precisas de ajuda…Oh!, como preciso de ajuda dos irmãos e irmãs, que nesse tempo de coronavírus, dão um testemunho ímpar e generoso do cuidado da vida; preciso de ajuda dos “pequenos e simples”, como Jesus os qualifica nos Evangelhos, únicos abertos “às coisas reveladas por Deus”! Por isso professo: Jesus, Tu és a força necessária!

Se temes a morte…Oh!, como temo a morte física de tantos irmãos e irmãs, especialmente os pobres, para os quais ainda não há remédio e condições de “vida” entre nós! Por isso professo: Jesus, Tu és a vida plena -”vida em abundância”!

Se desejas o céu… 0h!, como desejo o céu para a todas as minhas ovelhas; como desejo a felicidade plena e eterna para todos! Por isso professo: Jesus. Tu és o caminho certo!

Se estás nas trevas…Oh!, como as trevas da não-fé, dá não-esperança e do não-amor querem tomar conta da minha frágil pessoa; como as trevas da mesquinhez ronda a minha vontade e as minhas decisões! Por isso professo: Jesus, Tu és a luz infalível!

Essa é a minha profissão de fé maior! Mas, mesmo assim, ajudai-me a “saborear e ver como Tu és bom!”; ajudai-me a fortalecer a convicção: “Bem aventurado é aquele que em Deus põe a sua esperança!”

        Dom Jacinto Bergmann, Arcebispo de Pelotas