Notícias › 10/05/2021

Moçambique: equipe missionária inicia alfabetização de mulheres

Há 27 anos o Regional Sul 3 mantém com a Arquidiocese de Nampula o projeto Igrejas Solidárias, que envia missionários e missionárias para o acompanhamento das paróquias de Larde e Micane e o desenvolvimento de projetos sociais, em atenção às necessidades da população local.

Atualmente, a equipe, além de acompanhar mais de 150 comunidades nas duas paróquias, também mantém um Lar Vocacional com 10 jovens, uma Biblioteca Comunitária e o Projeto Murima Wa Mwana (Coração de Criança), que atende crianças e adolescentes que vivem perto da casa da Missão. A iniciativa tem como objetivo servir de reforço escolar para os alunos de 1° a 7° classe, de modo que os alunos chegam no período contrário da escola, duas vezes por semana e são orientados por jovens voluntários.

Em 2020, atendendo ao pedido da comunidade, foi possível abrir uma turma de crianças pequenas, de 4 e 5 anos, que ainda não entraram na escola. A necessidade surgiu porque não há educação infantil pública em Moçambique e na Vila de Moma existe apenas um Jardim de Infância particular. Por isso, as famílias sentem a necessidade da escolarização principalmente para que as crianças aprendam a falar o Português, língua nacional, mas pouco falada, já que a população em geral tem como preferência a língua local, Makua.

Após um ano com o projeto fechado devido à Pandemia, os trabalhos retornaram no início de abril de 2021, com 9 turmas que somam em torno de 100 alunos.

Alfabetização de mulheres

Uma novidade para este ano, pós pandemia, foi a abertura de uma turma de alfabetização de mulheres, que estão estudando aos sábados e domingos a tarde. Em Moçambique, são muitos os motivos que impedem a mulher de estudar ou completar a formação básica em Moçambique, dentre eles a obrigação de cuidar dos afazeres de casa (buscar água, limpar, cozinhar, cuidar os irmãos), além do casamento prematuro e a gravidez precoce.

Por isso, é grande a necessidade e a vontade das mamás em retomar os estudos. Uma das novas alunas, Mamá Nania explica: “Eu estudei até a 7° classe, mas tinha dúvidas para a escrita, como entender quando usar letras maiúsculas e minúsculas. Aqui aprendo muitas coisas. Já melhorei a caligrafia e posso estar junto com minhas amigas, é até divertido”, aponta Nania.

A professora Anicete, voluntária no projeto, afirma: “o trabalho é muito bom e eu gosto muito, até prefiro esse trabalho social que o oficial com os adolescentes na escola (risos)”.

A leiga Maria Isabel Tromm, missionária em Moçambique desde junho de 2019, ressalta que “um projeto social com foco na educação nunca vai enfraquecer ou acabar. Pelo contrário, tende a crescer cada vez mais na medida em que as crianças demonstram em casa seu aprendizado, incentivando os pais e familiares a também buscar o conhecimento, principalmente para a escrita e a leitura”.

Como contribuir

Para garantir a sustentabilidade do Projeto Igrejas Solidárias, entre o Regional Sul 3 e a Arquidiocese de Nampula, a Igreja do Rio Grande do Sul conta com o apoio dos fieis de todo o Estado. Na celebração de Pentecostes, dias 22 e 23 de maio, as paróquias e comunidades de todo o Rio Grande do Sul realizam a coleta que mantém esta e outras ações missionárias.

Outra forma de ajudar é através da conta:

CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL
Banco Sicredi
Cooperativa: 0116
Conta Corrente: 08355-0
Pix: 33685686001041

CNBB Sul 3
Contribuição: Maria Isabel Tromm