Artigos, Bispos › 13/05/2020

O Pai vos dará outro Defensor

Antes de partir para junto do Pai, Jesus diz aos seus discípulos que não os deixará órfãos. Vai mandar-lhes o Espírito Santo para ficar com eles, para lhes dar fortaleza, para guiá-los na verdade, como nos ensina o Evangelho deste Domingo (João 14,15-21). O Senhor dá-lhes a conhecer mais claramente a Terceira Pessoa da Santíssima Trindade, o Espírito Santo, que se distingue do Pai e do Filho. Ele é o Espírito da verdade que lhes dará a conhecer todas as coisas que Jesus lhes ensinou. “O Espírito Santo que o Pai vos enviará em meu nome vos ensinará todas as coisas e vos recordará tudo o que vos disse” (João 14,26). Ele os guiará para a verdade plena. Será para eles o Defensor, o Confortador que estará com eles para sempre.

Depois de subir ao Céu, Jesus quer que eles fiquem em Jerusalém até que venha o Paráclito. E eles permanecem aqueles dez dias em oração no Cenáculo com a Virgem Maria, preparando-se para acolher o Divino Consolador.

Vamos celebrar a festa do Espírito Santo no dia de Pentecostes. A Santa Igreja convida-nos a preparar-nos não só para solenizarmos a sua festa, mas também para acolhê-lo em nossos corações. Devemos rezar-lhe mais nestes dias. Pedir-lhe que venha à nossa alma com mais intensidade, que encha de fogo os nossos corações frouxos e tíbios, que nos encha da sua sabedoria. Temos de pedir pela Santa Igreja para que a renove e lhe abra as portas de tantos corações por todas as partes da terra. É Ele que a guia na verdade e nos dá a garantia da sua infalibilidade.

O Espírito Santo veio a nós pelo Batismo. Foi por Ele que nascemos para uma vida nova, a vida da graça, a vida de filhos de Deus. Ele ficou em nosso coração para nos santificar, para gravar em nossa alma a imagem viva de Cristo. Conta com a nossa colaboração, com o nosso esforço por ir arrancando os defeitos, por cumprir amorosamente a vontade de Deus, por estar atentos às suas inspirações.

De novo veio a nós com a plenitude dos seus dons no dia da Crisma. O Sacramento da Confirmação tem a função de ser para nós um novo Pentecostes e Jesus quer que todos o recebam, para lhes dar a plenitude da vida cristã. É isso que nos lembra a 1ª Leitura (Atos 8,5-8.14-17). O diácono Filipe tinha pregado o Evangelho na Samaria. Muitos acreditaram e foram por ele batizados.

Os Apóstolos que estavam em Jerusalém ao saber disso apressam-se a ir administrar a Crisma àqueles cristãos. Impunham-lhes as mãos e eles recebiam o Espírito Santo no meio de manifestações semelhantes às do dia de Pentecostes. Vemos nesta página dos Atos dos Apóstolos a importância que os primeiros cristãos davam à confirmação e à presença do Paráclito nas almas dos fiéis dos primeiros tempos.

Agradeçamos nós a Deus pelo dom que recebemos no dia da nossa Confirmação. E preparemo-nos através da oração, para celebrar a Solenidade de Pentecostes.

Dom Antônio Carlos Rossi Keller – Bispo de Frederico Westphalen