Notícias › 23/08/2021

Pastoral dos Migrantes Regional visita Diocese de Bagé

A Pastoral do Migrante do Regional Sul 3 tem intensificado as visitas às arqui/dioceses do Estado, considerando a realidade e contextos dos migrantes e a urgente necessidade de um acompanhamento efetivo a estes irmãos.

Nos dias 19 e 20 de agosto, foi a Diocese de Bagé que recebeu a visita da comissão regional da pastoral, composta pelos padres James-son Mercure, da coordenação regional da pastoral e Ademar Barilli do CIBAI Migrações.

No primeiro dia de visita, a equipe se reuniu com Dom Cleonir Dalbosco, Bispo Diocesano, a Ir. Renata Biasibetti, scalabriniana e coordenadora da Pastoral do Migrante na Diocese de Bagé e outras lideranças dessa Pastoral. Outro momento importante, conforme destaca o Pe. James-son, foi o encontro com o Prefeito Municipal Divaldo Lara e sua equipe. “Este encontro foi especial para incentivar o Órgão Público sobre o Projeto da acolhida dos migrantes e sobre a Inserção Sócio Laboral que o CIBAI- Migrações está desenvolvendo na Região”, ressalta Pe. James-son.

Ainda neste dia, o grupo visitou a rede de mercados Nicolini e se reuniu com o Economista Bayard Paschoa Pereira, Secretário Municipal do desenvolvimento econômico, ciência, tecnologia e inovação. Já no dia seguinte, o grupo foi recebido pelo Vice-Prefeito de Santa do Livramento, Evandro Gutbier, junto com sua equipe de trabalho.

A Pastoral do Migrante existe há anos na Diocese de Bagé, coordenada pela Ir. Renata. Entretanto, nos últimos anos enfrentou uma desarticulação pela falta de lideranças engajadas na pastoral.

“Com os encontros que foram realizados com o Bispo e as lideranças da cidade, acredito que daqui ao futuro, essa equipe da Pastoral será fortalecida para realizar um excelente trabalho em prol dos migrantes que se encontram na comunidade e os que estão por chegar”, afirma Pe. James-son.

Ele destaca ainda a importância do encontro com os governos municipais de Bagé e Santana do Livramento, “porque a parceria com eles é muito importante para responder as diferentes demandas que os migrantes apresentam e sem uma boa incidência com os Órgãos Públicos a Pastoral do Migrante não conseguirá realizar nenhum projeto com e para os migrantes”, aponta o coordenador regional.

“Saímos de lá com satisfação porque todos mostraram-se interessados para começar a fazer um primeiro levantamento sobre a realidade migratória de Bagé e de Santana Do Livramento, a fim de poder iniciar um bom trabalho em prol dessa população”, concluiu.