Artigos, Bispos › 09/12/2020

Paz na Terra

Continuando os temas do nosso subsídio de preparação ao Santo Natal nas famílias ou grupos de famílias recebemos um encorajamento a não termos medo porque Deus está entre nós e, consequentemente, podemos alimentar a esperança de Paz na Terra. Certamente o que todos desejamos e almejamos para nós e para os outros é vivermos em paz e segurança, condição fundamental para encontrarmos a realização da nossa vida e dos nossos sonhos, bem como a saúde da humanidade.

O texto de reflexão é Lc 2, 8-20, a visita dos pastores ao Meninos Jesus nos diz que o Natal, também nos lembra movimento de saída. A saída de Deus que desce do céu em visita à humanidade, obra de suas mãos (o oleiro divino), e que nem sempre essa consegue ser fiel ao projeto do Pai Criador com o objetivo preciso de redimi-la e reconciliá-la consigo restabelecendo a paz.

Enquanto os pastores rumavam a Belém, juntou-se ao anjo uma multidão do exército celeste que louvavam a Deus, dizendo: “Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens que ele ama”. Aquele que nasceu veio trazer a paz. Ele é o Príncipe da paz.

Por ocasião do nascimento de outro menino, João Batista, o velho Simeão em sua louvação, também anunciou a mesma paz atribuída àquele que viria depois dele: “Pela entranhável misericórdia do nosso Deus, nos visitará do alto um amanhecer… que encaminha nossos passos por um caminho de paz” (Lc 1,79). Paulo vai anunciar com todas as letras à comunidade dos efésios: “Cristo é a nossa paz: do que era dividido, fez uma unidade”, que é o lema da Campanha da Fraternidade de 2021.

O papa Francisco contemplando o presépio e referindo-se aos pastores de Belém comenta: “É um ensinamento muito belo, que nos é dado na simplicidade da descrição. Ao contrário de tanta gente ocupada em fazer muitas outras coisas, os pastores tornam-se as primeiras testemunhas do essencial, isto é, da salvação que nos é oferecida. São os mais humildes e os mais pobres que sabem acolher o acontecimento da Encarnação. Ao Deus que vem ao nosso encontro no Menino Jesus, os pastores respondem, pondo-se a caminho rumo a Ele, para um encontro de amor e de grata admiração”.

Assim deveria ser o Natal para nós: um encontro de amor e grata admiração pela preciosa e feliz iniciativa divina de nos procurar e salvar; pela paz que veio trazer à terra, a verdadeira Paz.

Para refletir: Diante da imagem dos pastores de Belém, como estamos percebendo a realidade atual, a fome, a falta de emprego, a dificuldade com a saúde? Estamos aprendendo a viver com o essencial e sermos mais humildes? Ou nos custa aprender essa lição do presépio? O que eu posso ou deveria fazer para a paz de Jesus reinar em nós, na nossa família e comunidade?

Textos bíblicos: Is 61, 1-11; Ef 2, 11-22; Lc 2, 8-20; Sl 85

Dom Jaime Pedro Kohl – Bispo de Osório