WEBMAIL

Regional Sul 3 realiza entrega de Equipamentos de Proteção Individual às vítimas das chuvas no RS

 A ação foi concretizada com parte dos recursos arrecadados pela Campanha promovida pelo Regional, que conta com o apoio da Igreja de todo o país.

A solidariedade ganhou forma de botas e luvas na tarde desta quarta-feira (12), em Canoas. Foi o Bairro Mathias Velho, um dos mais afetados pela enchente em todo o Rio Grande do Sul, que recebeu os primeiros Equipamentos de Proteção Individual adquiridos com os recursos da Campanha em favor das vítimas das chuvas, promovida pela CNBB Sul 3.

Em visita ao local, o Pe. Rogério Ferraz de Andrade, Secretário Executivo do Regional, realizou a entrega de 250 pares de botas e de luvas ao Frei Juan Miguel Méndez, na Paróquia Sagrado Coração de Jesus. O material, conforme explica Pe. Rogério, é metade do que foi adquirido nesta primeira destinação dos recursos da campanha: “Compramos agora 500 pares de botas e de luvas, para distribuir às famílias que estão voltando para suas casas. Isso é um cuidado importante, já que temos visto os números de leptospirose e de outras doenças aumentarem a cada dia no Estado”.

O Secretário Executivo lembra que outras ações ainda estão previstas a partir dos recursos da Campanha, conforme decidido pelo episcopado gaúcho: a aquisição de móveis e eletrodomésticos para as famílias necessitadas e o desenvolvimento de projetos para o cuidado da saúde mental.

Paróquia: casa de acolhida e cuidado

Em Canoas há apenas cinco meses, o Frei Juan Miguel, natural da República Dominicana, viu sua missão mudar de rumo de uma hora para outra neste tempo. A Paróquia Sagrado Coração de Jesus também ficou totalmente submersa pela enchente e, assim que as águas baixaram, a orientação do pároco foi clara: “Vamos limpar primeiro o salão paroquial para poder organizar nossa ajuda às famílias”.

Frei Juan explica que a paróquia conta com 14 comunidades e tem uma população estimada em 37 mil pessoas. Segundo ele, todas as ruas e todas as residências do território paroquial foram atingidas pela enchente e há, ainda, muitas famílias que não puderam retornar para suas casas.

Recebendo e encaminhando doações diariamente, tanto de roupas, quanto de alimentos e materiais de higiene e limpeza, ele destaca que as botas e luvas chegaram em uma boa hora, já que muitas famílias esperam limpar suas residências nestes próximos dias.

“Neste fim de semana esperamos 40 jovens que chegam de Curitiba e outros 20 que vêm de Marau para ajudar na limpeza das residências e, com certeza, este material irá ajudar muito neste serviço”, explica.

Tempo de reconstrução

Uma breve passagem por Canoas anuncia que há ainda muito tempo pela frente até que, pelo menos, todas os desabrigados possam retornar para suas casas e torná-las um lar novamente. Infelizmente, esta não é apenas a realidade de Canoas, mas também de muitas cidades em todo o Rio Grande do Sul.

O que um dia foi uma casa – e que agora, quando muito, se tornou quatro paredes embarradas – está, na verdade, no meio da rua. São montanhas e montanhas do que se tornou lixo porque não pode mais ser utilizado: móveis, eletrodomésticos, documentos, fotografias, quadros e mesmo muros, tetos e paredes desabados.

Neste processo de reconstrução, a CNBB do Regional Sul 3 entendeu que é preciso cuidar e exercer esse cuidado em diversos aspectos. O primeiro, e mais urgente, é o com a saúde física, manifestado na aquisição dos equipamentos de proteção. O segundo é o cuidado com a moradia e habitação, concretizado na destinação dos recursos através de projetos apresentados pelas arqui/dioceses gaúchas ao Regional para compras de móveis e eletrodomésticos. E, por fim, o terceiro, é garantir o cuidado com a saúde mental de quem passou por tudo o que o Rio Grande do Sul viveu neste último maio.

 

CNBB Sul 3