Notícias › 09/12/2021

Capela da Capilha deve ser inaugurada em fevereiro na reserva do Taim

A inauguração do restauro estava prevista para março, mas a obra pode ser entregue ainda em fevereiro. Uma das possiblidades sonhadas por Dom Ricardo é tornar o local um Santuário Ecológico.

A restauração da Capela Nossa Senhora da Conceição, na localidade da Capilha, contemplada no Plano Integrado de Gestão e Desenvolvimento do Taim, está em um processo bem adiantado. Conforme o bispo diocesano do Rio Grande, Dom Ricardo Hoepers, a obra se desenvolveu dentro dos prazos previstos no cronograma para finalizar em março do próximo ano. Porém com o atual andamento, existe a possibilidade de que seja finalizada um pouco antes, talvez no mês de fevereiro.

O engenheiro Paulo Walter Luz informou que já foram concluídos os revestimentos internos e no atual momento, em fase da pintura externa e interna, sendo que até a próxima semana, deverão ser instaladas as portas e janela da sacristia, com a finalização também da pavimentação externa. As obras de restauro tiveram início em março deste ano, com a previsão de 12 meses para conclusão. Luz concorda que, como já está nos acabamentos, é possível que fique pronta antes do prazo, “mas ainda temos muito trabalho pela frente”. O maior desafio dessa obra, segundo ele, foi executar os reforços estruturais nas paredes.

Acompanhando todos as etapas, Dom Ricardo disse que, agora, já com o novo telhado e forro prontos, há uma concentração no trabalho de recuperação dos desenhos, das colunatas e do altar frontispício, localizado na frente da igreja, o altarmor onde será colocada a Nossa Senhora da Conceição. E também em busca de patrocinadores para os bancos da igreja. Alguns objetos sacros, como as duas cruzes, os sinos e a imagem de Nossa Senhora, foram encaminhados para recuperação em especialistas de Porto Alegre. “A imagem de Nossa Senhora da Conceição já está restaurada, pronta para retornar”, comemorou Dom Ricardo.

Destacando que a Capilha, onde segundo ele, está o pôr do sol mais belo do mundo, se encontra em uma belíssima área de preservação nacional, a Reserva do Taim, o bispo diocesano pretende acompanhar esses últimos passos mais de perto, pois “vai exigir que a comunidade assuma esse cuidado com a pérola que está ali”. Ele explicou que a obra só foi possível graças ao apoio do Ministério Público Federal, o IPHAE e o Município do Rio Grande, mas que o suporte da comunidade é essencial na fase seguinte, isto é, na preservação do Patrimônio. “Talvez esse seja o maior e mais difícil desafio, que é a manutenção e o cuidado desse patrimônio que recebeu um aporte de mais de R$ 2 milhões, provenientes de ações civis públicas movidas pelo MPF”, frisou.

Santuário Ecológico – Pensando nessa próxima etapa de envolvimento da comunidade, Dom Ricardo revelou a ideia de fazer um trabalho de formação socioambiental, com palestras e cursos sobre o que é e como cuidar do patrimônio, além de resgatar a história da Capilha e da própria Capela, fazendo assim uma formação do pessoal da comunidade, para que tenha sempre alguém ali disponível e capacitado para atender os turistas. Nesse sentido, Dom Ricardo pretende unir outro projeto social em andamento na Diocese do Rio Grande que é a transformação do espaço da Casa de Formação, situada na avenida Presidente Vargas, em Centro Integrado de Formação Ecológica (CIFE).

O bispo justificou ter sido inspirado ao perceber que a Diocese é inteiramente ecológica e na perspectiva da Carta Encíclica Laudato si – Sobre o Cuidado da Casa Comum, do Papa Francisco, que mostra que toda a criação é dom de Deus. “Nós temos no âmbito da Diocese do Rio Grande, dois parques ecológicos reconhecidos nacionalmente, que é a Lagoa do Peixe e a Reserva do Taim, de valor extraordinário”, citou ele, informando que o objetivo é mostrar que a região sul do Brasil tem uma vocação ecológica. Dom Ricardo acredita que, na medida em que se consegue conscientizar as pessoas da importância desses espaços, também é possível tornar as cidades da região melhores.

E ainda nessa visão, Dom Ricardo se encorajou e deve entregar diretamente ao Papa Francisco, no dia 05 de maio do próximo ano, um projeto para transformar a Capilha e todo o entorno da Reserva do Taim em um Santuário Ecológico. “Ao nosso ver, toda a região é um grande santuário de beleza natural e a Capilha vem somar no sentido de ser um local de espiritualidade, de oração e também de unidade da comunidade”, explicou. Toda essa perspectiva está inserida no projeto do desenvolvimento sustentável do turismo da Capilha, incluindo a região em roteiros turísticos e religiosos voltados para a zona sul do estado e a criação de novas oportunidades econômicas para os moradores do local.

A inauguração da Capela Nossa Senhora da Conceição restaurada, no início de 2022, já vem sendo planejada com os primeiros preparativos protocolares. Uma das ideias é partir com uma grande carreata de Rio Grande, levando a imagem de Nossa Senhora da Conceição também restaurada até a localidade da Capilha, onde será feita uma missa campal para celebrar junto com a comunidade, a inauguração dessa igreja e a retomada dos trabalhos.

Com informações de Lucilene Zafalon | Diocese do Rio Grande