Notícias › 02/03/2021

Romaria de Nossa Senhora Consoladora: 69ª edição ficará para a história

As restrições sanitárias impostas devido à pandemia da Covid-19 transformaram a romaria em honra a Nossa Senhora Consoladora dos Aflitos, no município de Ibiaçá/RS. A 69ª edição da romaria que mobiliza a Diocese de Vacaria foi marcada pela fé e devoção, embora de forma virtual e sem a presença física de fiéis durante as missas no Santuário Diocesano.

Os passos da 69ª Romaria

Com o tema “Consoladora, mãe que caminha com o seu povo”, as atividades da 69ª romaria iniciaram ainda no mês de junho de 2020 com a primeira missa da novena mensal. Diferente do que ocorre tradicionalmente, todas as missas da novena mensal, bem como as missas de toda a Romaria, foram apenas de forma online ou via rádio, transmitidas pelas redes sociais do Santuário Diocesano, da Diocese de Vacaria e de outros meios de comunicação da região.

Na sexta-feira passada (19) iniciou-se a novena diária em preparação à romaria. A partir do tema central, cada pregador foi convidado a refletir um tema específico: Mãe que caminha com os servidores da romaria; com a família; em busca de perdão e conversão; na fraternidade e diálogo – compromisso de amor (CF 2021); com os que sofrem; com os vocacionados; com os movimentos e pastorais; e com os romeiros. Na última noite da novena (27), a Santa Missa com a coroação de Nossa Senhora, bem como a Missa de encerramento (28), foram presididas pelo bispo diocesano de Vacaria, Dom Silvio Guterres Dutra, que refletiu sobre o tema central da Romaria. Após a Missa do sábado à noite, o povo de Ibiaçá pôde acompanhar a procissão com o carro dos Bombeiros e representantes da área da saúde e segurança pública, que transportaram a imagem de Nossa Senhora Consoladora. A Romaria deste ano encerrou-se com exposição e bênção do Santíssimo Sacramento no domingo, após a Missa solene.

Em todas as missas o Santuário permaneceu de portas fechadas, atendendo às normas sanitárias e, dentro do possível, contribuindo no cuidado e preservação da vida. Pelas redes sociais oficiais, chegou-se ao pico de mais de 3 mil pessoas acompanhando ao mesmo tempo a transmissão ao vivo e, no vídeo que permanece nas redes sociais, cerca de 18 mil visualizações da Missa do sábado à noite e outras 17 mil da Missa de encerramento.

A 69ª romaria atingiu seu objetivo

Padre Edio Bresolin, reitor do Santuário Diocesano Nossa Senhora Consoladora, em entrevista à PASCOM diocesana, considerou que “a 69ª Romaria, Consoladora, mãe caminha com o seu povo, atingiu o seu objetivo. Ela nos permitiu entendermos ainda mais que, sem essa mãe, nós não somos ninguém, não conseguimos viver”.

Segundo ele, de modo especial, dois desafios foram postos às equipes responsáveis pela preparação da Romaria: primeiro, “que fosse possível celebrar, que as famílias, mesmo estando longe, se sentissem no Santuário, que elas fizessem de suas casas o seu santuário-lar”; em segundo lugar, o desafio de conduzir as celebrações, pois “não é fácil celebrar com as portas fechadas do santuário e sem a presença física dos romeiros e das romeiras que anualmente se dirigem ao Santuário. Mas as equipes de liturgia conseguiram fazer isso bem”.

A 69ª Romaria aconteceu no primeiro final de semana em que todo o estado do Rio Grande do Sul estava sob bandeira preta, de risco altíssimo de contágio para o coronavírus, no sistema de Distanciamento Controlado proposto pelo Governo do Estado. Segundo o reitor do Santuário, em diálogo com o prefeito municipal e tendo em vista as limitações próprias deste tempo pandêmico, definiu-se que a Romaria precisaria acontecer com as portas fechadas, “e assim o fizemos, mantendo a mesma empolgação”.

Por fim, Pe. Edio agradeceu “a todos aqueles que trabalharam, os conselhos administrativo e de pastoral, enfim, todas as pessoas que contribuíram para que a romaria acontecesse. Obrigado a você que participou, a você que ajudou a fazer isso tudo acontecer, a você que desde casa celebrou com a gente”. E ainda expressou o desejo de “que possamos caminhar juntos, preparando os 70 anos de história, de caminhada, das romarias a Nossa Senhora Consoladora em Ibiaçá”.

Evento destinado a ficar para a história

O bispo diocesano de Vacaria, Dom Sílvio Guterres Dutra, avaliou que a 69ª Romaria tornou-se um marco na caminhada Diocesana: “Ouso afirmar que a 69ª Romaria de Nossa Senhora Consoladora de Ibiaçá, não pela referida superação das expectativas, mas pela superação das dificuldades, tornou-se, paradoxalmente, um destes eventos destinados a ficar para a história”.

Segundo o bispo, preparar a Romaria foi momento de reflexão, “tivemos que nos perguntar sobre o que seria o essencial, sobre aquilo que seria a razão última da nossa fé e da nossa devoção a Nossa Senhora Consoladora”. E continuou, afirmando que “lamentamos a não realização de muitas coisas, mas o que importa é que não deixamos de viver o essencial”.

Sobre a situação pandêmica, reconheceu os “grandes desafios enfrentados pelo Padre Édio Bresolin (reitor do santuário) e pela sua equipe de coordenação, em parceria com a administração municipal, para discernir e decidir o que e como se faria” e destacou a “qualidade das celebrações e pelo expressivo alcance das transmissões via redes sociais e rádios, tudo se deu com grande acerto”.

Por fim, Dom Sílvio manifestou a “grande convicção” de que uma grande Romaria se realizará em 2022 e agradeceu “os inúmeros operários de Nossa Senhora (colaboradores e colaboradoras indistintamente) que, de longe ou de perto, contribuíram para que tudo fosse feito com a dignidade celebrativa merecida e com o cuidado necessário para com a saúde e a vida”.

A 70ª edição da Romaria a Nossa Senhora Consoladora acontecerá nos dias 26 e 27 de fevereiro de 2022.

Texto: Edimar Scopel e Renan Paloschi Zanandréa/Pascom Diocese de Vacaria.

Imagens: Reprodução/Santuário Diocesano Nossa Senhora Consoladora